Ransomware: como funciona a recuperação de dados?

5 min de leitura
Patrocinado
Imagem de: Ransomware: como funciona a recuperação de dados?
Avatar do autor

A sociedade atual criou uma forte dependência de dispositivos como computadores e smartphones. Hoje depositamos a nossa confiança nesses aparelhos, permitindo que eles carreguem boa parte de nossas vidas na forma de dados. Isso traz muita praticidade, mas também pode oferecer riscos, especialmente se essas informações se perderem de alguma forma.

Quando isso acontece, é preciso recorrer ao processo de recuperação de dados. Esse método também é utilizado em outras circunstâncias, como após um ataque hacker que utiliza um ransomware, por exemplo. Acidentes que danifiquem dispositivos de armazenamento (como HDs, SSDs e pen drives) são outro tipo de ocorrência que acaba exigindo o trabalho de recuperação de dados.

Mas como funciona esse processo? E como é possível reverter a perda de informações digitais, mesmo que pareça irreversível? A Bot, empresa especializada na recuperação de dados, explicou para nós como isso é realizado e nós contamos os detalhes para você a seguir.

O processo de recuperação

Antes de mais nada, é importante destacar que a recuperação de dados é um processo que pode variar bastante no que diz respeito aos métodos utilizados. Isso acontece porque a perda de informações pode se dar por diferentes motivos, o que naturalmente exige abordagens diferentes.

Pense no caso de um ataque hacker que usou um ransomware, por exemplo, um programa malicioso que bloqueia o acesso aos arquivos por meio de criptografia. Nessa situação, a melhor abordagem, de acordo com a empresa Bot, consiste na análise do software prejudicial para a criação de um mecanismo de descriptografia e reversão do problema.

Pode ser que essa técnica não gere resultados, motivo pelo qual uma nova abordagem se faz necessária. É possível, por exemplo, estudar o ransomware que danificou o sistema e identificar as possíveis brechas que o programa deixou ao longo de sua infestação. Com base nessas falhas de funcionamento, aumenta-se a chance de recuperar os arquivos que não foram danificados ou reverter definitivamente o bloqueio de acesso.

No final das contas, é importante entender que a recuperação de dados pode variar de um caso para outro, mas a tendência é que o processo como um todo siga o curso explicado a seguir.

Passo 1: recebimento dos produtos

Envio equipamentosA primeira parte do processo consiste na entrega ou envio dos equipamentos que precisam passar pela recuperação. (Fonte: Shutterstock)

O primeiro passo na recuperação de dados é o recebimento dos dispositivos afetados. Geralmente estamos falando de equipamentos de hardware do dia a dia, como HDs, SSDs, computadores, smartphones e até acessórios, como pen drives e cartões de memória. Porém, também é comum o processo acontecer em servidores em RAID e NAS.

No caso da Bot, os consumidores podem entregar em uma das 20 unidades distribuídas de Norte a Sul ou podem aproveitar o benefício do envio gratuito de dispositivos por frete expresso de qualquer endereço do Brasil. Tudo o que o interessado precisa fazer é preencher o formulário no site, o que não leva mais do que 50 segundos.

Passo 2: análise da situação

Análise dadosA análise é uma parte importante da recuperação de dados e vai definir a abordagem do processo. (Fonte: Shutterstock)

Depois que o produto chega na empresa responsável pela recuperação de dados, é necessário conduzir uma análise para entender qual é o problema. Afinal, podemos estar falando de uma grande variedade de situações que podem ter levado à perda de informações preciosas para o cliente, desde um acidente com o dispositivo até um ataque hacker de criminosos — como explicado alguns parágrafos acima.

Esse processo de análise também considera o tipo de dispositivo em questão. Dependendo do equipamento, é preciso realizar procedimentos específicos para a recuperação de dados, especialmente em se tratando de tecnologias mais modernas e complexas.

Isso levanta um sinal de atenção importante: ao precisar recuperar dados, tenha certeza de que você está contando com ajuda profissional para que o processo aconteça com a maior chance de sucesso possível. Reaver dados enviados para a lixeira do computador pode ser algo extremamente simples para alguns, mas recuperar informações de um aparelho danificado é tarefa para uma equipe profissional.

Se estivermos falando de um ataque hacker através de um ransomware, por exemplo, a exigência de um perito no assunto se faz ainda mais necessária. Portanto, tenha em mente que o processo de recuperação de dados é algo sério e precisa ser conduzido por equipes especializadas no assunto.

Na Bot, é nesta etapa que a empresa também envia o orçamento gratuito (entregue em até 48 horas). Porém, se o consumidor tiver pressa, pode recorrer ao modelo prioridade (orçamento em 24 horas) ou urgência (orçamento em 12 horas).

Passo 3: recuperação de dados

Recuperação de dadosO processo de recuperação de dados pode variar bastante dependendo do equipamento e problema enfrentado. (Fonte: Shutterstock)

Depois que a análise é finalizada, está na hora de realizar a recuperação de dados propriamente dita. Nesta etapa, o processo mais uma vez pode variar muito de um dispositivo para outro, ou conforme o tipo de situação pela qual o aparelho passou para perder as informações.

A forma de se lidar com um ransomware é um bom exemplo de recuperação de dados na prática — embora muitos detalhes técnicos tenham sido deixados de lado. Depois da análise, todas as possibilidades são consideradas através do estudo do tipo de programa que afetou o sistema, bem como o seu funcionamento para a criação de uma ferramenta de descriptografia.

Portanto, o processo de recuperação de dados pode variar bastante, mas com certeza estamos falando de um processo complexo e que — novamente reforçando — exige o trabalho de uma equipe especializada. Qualquer erro no procedimento pode não somente deixar de recuperar as informações perdidas, mas danificá-las de modo irreversível.

Passo 4: devolução do equipamento e dados recuperados

Hard driveDepois que os dados foram recuperados, o dispositivo é devolvido com os arquivos. (Fonte: Shutterstock)

A quarta e última etapa consiste na devolução dos dispositivos e dados recuperados. Neste momento, é importante destacar que não estamos falando de um processo “mágico” e que oferece 100% de garantia na recuperação dos dados.

Na verdade, muitos são os casos em que o procedimento realmente quase chega a 100% de sucesso. Contudo, há situações em que pode ocorrer a recuperação de 10%, 30% ou 80% das informações perdidas. Tudo vai depender das características do dispositivo de armazenamento, capacidade técnica da equipe responsável, bem como da agilidade do consumidor em procurar ajuda.

Nesse sentido, a Bot mais uma vez se destaca por oferecer um serviço que se compromete com os prazos estabelecidos com os clientes. A empresa sabe que a recuperação muitas vezes precisa acontecer de modo rápido e, para isso, oferece a possibilidade de contratar a recuperação de dados em caráter urgente que pode atender necessidades específicas de seus consumidores.

Entretanto, acima de tudo, a Bot se compromete com a qualidade de seu serviço, garantindo que a recuperação de dados, fotos, arquivos, relatórios e outras informações valiosas aconteçam com a maior chance de sucesso possível.

Se você gostou de descobrir como funciona o processo de recuperação de dados e está precisando desse tipo de serviço, entre em contato com a Bot e converse com um especialista agora mesmo.