Polícia de SP prende grupo que se passava por call center de banco

1 min de leitura
Imagem de: Polícia de SP prende grupo que se passava por call center de banco
Imagem: Shutterstock/Reprodução
Avatar do autor

Na última terça-feira (21), a Polícia Civil de São Paulo descobriu mais uma quadrilha da chamada "call center do crime". O grupo se passava por atendente de bancos e utilizava sistemas de mensagens automáticas — idênticas ao usado pelas instituições financeiras — para aplicar golpes nas vítimas, sendo a maioria idosos.

Segundo a polícia, a quadrilha atuava na Zona Norte da capital paulista desde o ano passado, mas fazia vítimas em todo o território nacional.

Os criminosos ligavam para as vítimas se passando por funcionários dos bancos. Durante a ligação, eles afirmavam haver uma compra suspeita no cartão da pessoa e que seria preciso entrar em contato com banco para regularizar a situação. Ao ligar para a agência, a chamada era redirecionada novamente para o número dos criminosos.

Foram apreendidos com a quadrilha sete notebooks e nove celulares. Os aparelhos contavam com listas de dados contendo número de contato, email, endereço e até renda mensal dos clientes. Ao todo, sete pessoas foram presas.

Onda de crimes

Na última semana, a Polícia Civil de São Paulo já havia prendido quatro mulheres, que têm entre 18 e 19 anos, suspeitas de aplicar o mesmo golpe, também na Zona Norte da cidade. As criminosas enviavam até mesmo um motoboy para a casa das vítimas. Lá, eles pediam o atual cartão bancário da pessoa e prometiam trazer uma "nova versão" para substituir.

Os crimes desse tipo já são comuns: a série do TecMundo Realidade Violada mostra o funcionamento e o perigo dos golpes. Confira!

Fontes