Dados de 500 milhões de usuários do LinkedIn estão à venda online

1 min de leitura
Imagem de: Dados de 500 milhões de usuários do LinkedIn estão à venda online
Imagem: Forbes
Avatar do autor

Um pacote com dados de aproximadamente 500 milhões de usuários do LinkedIn estão à venda em um fórum online. Segundo o Cyber News, um hacker está oferecendo o conjunto de informações e até vazou publicamente detalhes de 2 milhões de pessoas como comprovação do conteúdo.

Enquanto os dados que estão sendo vendidos não incluem informações sigilosas, a quantidade de detalhes presente no vazamento é grande. Segundo o Cyber News, o pacote inclui nomes, e-mails, telefone, ocupação, detalhes do local de trabalho, link para o perfil no LinkedIn e outras redes sociais.

Fonte:  NurPhoto/Getty Images/Forbes 

As informações podem ser visualizadas no fórum em que o conteúdo está sendo vendido por créditos que custam a partir de US$ 2. O hacker que está com os dados também vai fazer um leilão pelo pacote completo em bitcoins.

De acordo com o cibercriminoso, todos os dados foram coletados no LinkedIn. Ainda não está claro, no entanto, se as informações são atuais ou foram coletadas em vazamentos anteriores ocorridos na rede social e em plataformas de parceiros.

A Microsoft comentou oficialmente sobre o assunto e disse que o caso não representa uma brecha na rede social corporativa. Segundo a companhia, o banco de dados inclui informações que foram obtidas em outros sites. "Isso não foi uma violação de dados do LinkedIn, e nenhum dado de conta de membro privado do LinkedIn foi incluído no que pudemos revisar", disse a empresa.

Como saber se meus dados foram vazados?

Fonte:  Cyber News 

Se você quer saber se seus dados podem estar presentes no pacote que está à venda, uma ferramenta gratuita do Cyber News pode ajudar. A empresa possui um sistema de verificação de vazamentos que indica se seu e-mail já apareceu em alguma brecha.

Caso seus dados tenham sido vazados, a dica é ficar atento para possíveis golpes enviados por e-mail. Como as informações vendidas também envolvem informações de trabalho, os cibercriminosos podem bolar esquemas específicos para tentar roubar credenciais bancárias por meio de phishing.

Dados de 500 milhões de usuários do LinkedIn estão à venda online