Encontrada grave falha no Windows 7; Microsft não deve corrigir

1 min de leitura
Imagem de: Encontrada grave falha no Windows 7; Microsft não deve corrigir
Imagem: Windows/Divulgação
Avatar do autor

Lançado em 2009, a versão 7 do Windows ainda resiste em milhões de PCs mundo afora, mesmo depois de a Microsoft ter encerrado o suporte e o envio de atualizações em janeiro deste ano. A ajuda agora vem de qualquer lugar, principalmente quando novas falhas de segurança são descobertas, como acaba de ocorrer.

Ao usar uma ferramenta para avaliar problemas nas configurações de privilégios, o especialista em segurança Clément Labro, do site itm4n> descobriu que duas chaves do registro podem ser acessadas por qualquer utilizador.

Segundo ele, "quando executei o script atualizado em uma instalação padrão do Windows 10, nada apareceu, o que foi o resultado que eu esperava. Mas então, fiz o mesmo no Windows 7 e vi o seguinte:"

Labro encontrou inúmeras falhas de segurança potencialmente perigosas dentro do Windows 7. Clément Labro/Reprodução 

Labro encontrou falhas de segurança potencialmente perigosas dentro do Windows 7.

A falha possibilitaria a um invasor carregar DLLs e, consequentemente, dar ao hacker permissões para alterar o sistema em profundidade e ter acesso completo ao Windows 7. A solução não veio, obviamente, da Microsoft, mas da empresa 0patch, que fornece patchs de segurança principalmente para o setor corporativo (sem que seja preciso esperar pelas correções dos fornecedores).

A 0Patch também já lançou atualizações para outros produtos descontinuados pela Microsoft, como o pacote Office 2010.

Amor antigo

Mesmo a Microsoft concentrando esforços na adoção global do Windows 10, ainda existem milhões de PCs rodando a versão 7 do Windows. Algumas empresas, como a Google, prometeram manter o suporte ao sistema operacional até meados de 2021 (o próximo na lista da guilhotina será o Windows 8.1, em 2023).

Segundo dados do site NetMarketShare, 20,93% dos computadores no planeta ainda usam o Windows 7 (mais até que a versão 8.1)

.  NetMarketShare 

Na América Latina, o quadro é semelhante. Segundo um levantamento do sistema de proteção em nuvem Kaspersky Security Network, o Brasil tem a mais alta taxa de uso da versão 7 (37%), seguido por Argentina (35%), Colômbia (33%), Peru (29%) e México (28%).

Fontes

Encontrada grave falha no Windows 7; Microsft não deve corrigir