TSE não foi invadido; hackers admitem que dados eram antigos

1 min de leitura
Imagem de: TSE não foi invadido; hackers admitem que dados eram antigos
Avatar do autor

ATUALIZAÇÃO: 20H59 - 15/11/2020

O grupo hacker que assumui responsabilidade pela divulgação dados supostamente vindos de um vazamento do TSE admitiu que as informações eram antigas. O TecMundo já havia apurado que os dados vazados de antigos funcionários da Corte vinham de um servidor abandonado, remetendo à 2001. Agora, o grupo diz estar em posse de um pacote de dados subtraidos do TSE recentemente e devem publicar na web em breve.

Confira a notícia original a seguir:

Com objetivo de levantar dúvidas sobre a segurança do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e da lisura das Eleições 2020 que acontecem neste domingo (15), um grupo de criminosos digitais republicou um apanhado de dados antigos, possivelmente de 20 anos atrás, como se fossem resultado de um ataque recente ao TSE.

Alguns veículos chegaram a repercutir o vazamento falso como se o dito grupo estivesse tentando demonstrar que a segurança da Justiça Eleitoral não é tão forte como o a instituição chegou a afirmar nas últimas semanas.

O grupo que assumiu responsabilidade pelo suposto ataque é conhecido em seu meio por aproveitar situações oportunas para divulgar vazamentos antigos como se fossem novos. Desde a noite de ontem (14), o app e-Título e outros sistemas do TSE estão instáveis devido à alta demanda. A Corte fez um pronunciamento sobre o problema na manhã de hoje.

Fontes do TecMundo conseguiram confirmar que existem registros de data e hora no pacote de dados divulgado neste domingo, remetendo ao período de 2001 até 2010. Aparentemente, as informações foram subtraídas de um servidor abandonado. Isso torna os dados completamente irrelevantes, sendo pouco valiosos até mesmo para estelionatários digitais.

Em entrevista coletiva na tarde de hoje, o TSE informou que nenhuma tentativa de ataque hacker à Corte foi bem-sucedida neste domingo. Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, também comentou o "vazamento" em questão, afirmando que os dados seriam velhos, obtidos muito antes de a instituição reforçar seus sistemas.

É importante destacar que esse apanhado de dados antigos não conta com qualquer informação que possa comprometer as Eleições deste ano ou de anos anteriores. Também não há dados pertencentes a eleitores, apenas funcionários do TSE. No momento, não existem indicações de que o TSE tenha sido hackeado recentemente, diferente do que aconteceu com STJ e Ministério da Saúde.

TSE não foi invadido; hackers admitem que dados eram antigos