Site de campanha de Trump é hackeado e vira golpe de criptomoedas

1 min de leitura
Imagem de: Site de campanha de Trump é hackeado e vira golpe de criptomoedas
Avatar do autor

Uma das páginas oficiais da campanha presidencial de Donald Trump, atual candidato à reeleição nos Estados Unidos, sofreu um ataque hacker nesta terça-feira (28). A página do domínio donaldjtrump.com foi "sequestrada" por alguns minutos, exibindo um recado dos supostos criminosos.

O ato foi um deface, quando uma página tem o seu conteúdo modificado sem sair do ar. Neste caso, em vez de informações sobre o político e empresário, o site mostrou um recado dos hackers e um esquema fraudulento envolvendo criptomoedas.

"O mundo já está farto de notícias falsas espalhadas diariamente pelo presidente Donald J. Trump. É hora de permitir que o mundo conheça a verdade", diz o aviso. Os invasores alegam ter acesso a dados do presidente e familiares, incluindo provas de que a administração estaria envolvida diretamente na origem do coronavírus e do uso de forças estrangeiras para manipular as atuais eleições.

Em seguida, os criminosos colocaram dois endereços de uma carteira da criptomoeda Monero — um para depósitos de quem quer saber a "verdade" e outro de quem deseja que ela permaneça guardada. Aí está o grande trunfo do golpe: exigir um pagamento dos dois lados sem qualquer garantia de acordo.

O diretor de Comunicações da campanha, Tim Murtaugh, confirmou o deface em seu perfil no Twitter. No comunicado, ele afirma ainda que investigações sobre o caso estão em andamento e garantiu que nenhum dado sensível de apoiadores ou doadores foi exposto.

Site de campanha de Trump é hackeado e vira golpe de criptomoedas