(Fonte da imagem: ArsTechnica)

Depois de quatro anos imune a ataques, o Google Chrome finalmente foi hackeado em uma competição anual do gênero. As falhas encontradas renderam um prêmio de US$ 60 mil aos autores da façanha e, segundo a Google, foram prontamente corrigidas.

Depois do Chrome, a segunda vítima foi o Internet Explorer. Uma versão corrigida e mais segura também foi derrotada pelos hackers. Eles foram capazes de assumir o controle total de um computador por meio da exploração de vulnerabilidades ainda desconhecidas na versão 9 do navegador, rodando em uma máquina com Windows 7 SP1.

“O que queremos mostrar com isso é que não existe um navegador 100% seguro”, explica um dos integrantes da equipe francesa que venceu o Chrome na última quarta-feira. “Mesmo que você tenha um sistema completamente atualizado, é possível comprometê-lo explorando falhas mínimas”, completa.

No caso do navegador da Microsoft, os hackers alertam que é mais fácil quebrar os seus códigos, uma vez que as áreas de segurança são menos restritivas. Eles acrescentam ainda que a versão beta do Internet Explorer 10, rodando em Windows 8, se aproximou muito das dificuldades encontradas para furar os bloqueios do Chrome, ampliando a segurança para o internauta.

Cupons de desconto TecMundo: