Google vai banir anúncios que espionam, perseguem e vigiam usuários

1 min de leitura
Imagem de: Google vai banir anúncios que espionam, perseguem e vigiam usuários
Imagem: Freepik
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A Google anunciou oficialmente uma atualização na política de permissão de anúncios nas plataformas da empresa. De acordo com o mais recente decreto, a plataforma Google Ads vai proibir a "divulgação de produtos ou serviços comercializados ou segmentados com o objetivo explícito de rastrear ou monitorar outra pessoa ou as atividades dela sem autorização".

Isso significa que os chamados stalkerwares serão banidos em definitivo. A categoria engloba uma série de ameaças escondidas, como anúncios que coletam dados sobre a sua localização, que são capazes de identificar conteúdos digitados no aparelho e podem fazer gravações de áudio ou vídeo sem a permissão do usuário. As únicas restrições são serviços de controle parental ou de investigações particulares.

Em 2019, aplicativos de espionagem já foram removidos pela Google, mas esse setor de malwares está em constante crescimento e até fez algumas das maiores companhias do mercado de antivírus se unirem para um combate conjunto.

Quando começa?

A medida começa a valer a partir do dia 11 de agosto de 2020, para que aqueles que se enquadram nas categorias agora proibidas tenham tempo de regularizar a situação. Além disso, a ação não envolverá o banimento direto: o responsável pelo anúncio recebe uma notificação prévia avisando sobre a suspensão da conta.

Você pode conferir o anúncio completo no site de dúvidas sobre o Google Ads.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Google vai banir anúncios que espionam, perseguem e vigiam usuários