Um político republicano dos EUA, chamado Devin Nunes, está processando o Twitter em US$ 250 milhões por supostamente “censurar vozes conservadoras” na rede social e ganhar dinheiro por meio de conteúdos “abusivos, prejudiciais e difamatórios”. Os políticos conservadores vêm chamando a suposta censura de “shadow-banning”, algo como “banimento fantasma”.

Twitter: nossa classificação comportamental não faz julgamentos baseados em opiniões políticas 

De acordo com o Twitter, o shadow-banning não existe, mas podem acontecer bugs na rede social. “Não fazemos shadow-banning ", disse o Twitter em um post no blog quinta-feira. "Você sempre consegue ver os tweets das contas que segue (embora talvez seja necessário trabalhar mais para encontrá-los, como ir diretamente ao perfil deles). Estamos cientes de que algumas contas não são preenchidas automaticamente em nossa caixa de pesquisa e estamos enviando uma alteração para resolver isso. Os perfis, tweets e discussões sobre essas contas aparecem quando você os procura. Para ser claro, nossa classificação comportamental não faz julgamentos baseados em opiniões políticas ou no conteúdo dos tweets”.

Além de US$ 250 milhões em danos compensatórios, Devin Nunes busca mais US$ 350 mil em danos punitivos ao Twitter. A rede social se negou a responder questões sobre o processo.

Cupons de desconto TecMundo: