No fim do último mês de janeiro, foi descoberto que o Facebook pagava jovens para usar uma espécie de programa espião coletor de dados chamado Facebook Research em seus smartphones. Esse esquema servia para conseguir informações de usuários mediante a um suposto programa de pesquisa remunerado.

A informação foi descoberta após um questionamento feito pelo senador dos Estados Unidos Mark Warner

Acontece que agora, a rede social confessou que mentiu na quantidade de adolescentes que faziam parte desse programa. Anteriormente, como nós reportamos, o Facebook havia dito que menos de 5% dos participantes desse esquema eram adolescentes e teriam participando com consentimento dos pais.

Pressão do governo

Agora, o Facebook afirma que, na realidade, os adolescentes eram cerca de 18% dos participantes, mais do que o dobro informado quando o escândalo veio à tona. A informação foi descoberta após um questionamento feito pelo senador dos Estados Unidos Mark Warner devido à falta de transparência da rede social sobre o assunto.

Além do programa do Facebook ter usado muito mais adolescentes do que o afirmado anteriormente, outra mentira foi descoberta: não foi exigido a nenhum deles uma autorização por escrito dos pais, contrariando o que foi afirmado. Enquanto a plataforma busca uma maneira de se redimir pelos escândalos recentes envolvendo privacidade, a própria empresa acaba minando a confiança depositada nela com ações desse tipo.

Cupons de desconto TecMundo: