Desde que o reconhecimento facial passou a ser usado para o desbloqueio de dispositivos, muita gente questiona até que ponto ele pode ser usado como proteção. Agora, com o aumento de aparelhos oferecendo essa opção, esse assunto se torna ainda mais relevante. Por isso mesmo é que a Associação de Consumidores Holandeses resolveu fazer um estudo para testar o quão eficiente os sistemas são para evitar que qualquer um tenha acesso ao seu smartphone.

Os pesquisadores testaram 110 smartphones — com variantes de um mesmo produto — simplesmente utilizando uma foto em alta resolução dos donos das contas. Eles foram capazes de desbloquear 42 telefones, incluido modelos como ASUS Zenfone 5, HTC U11+, Huawei P20 Pro, Motorola One, Nokia 7.1, Samsung Galaxy A8Sony Xperia XZ3 e Xiaomi Mi A2.

Confira a lista dos que falharam:

  • Alcatel 1X
  • Asus Zenfone 5 Lite (64 GB)
  • Asus Zenfone 5 (ZE620KL) (64 GB)
  • BlackBerry Key2
  • BlackBerry Key2 (Estados Unidos)
  • BQ Aquaris X2
  • BQ Aquaris X2 Pro
  • General Mobile GM8
  • HTC U11+
  • Huawei P20 (EML - L29)
  • Huawei P20 Lite
  • Huawei P20 Pro (CLT - L29)
  • Lenovo Motorola Moto E5
  • Lenovo Motorola Moto E5 (Brasil)
  • Lenovo Motorola Moto E5 Plus (Brasil)
  • Lenovo Motorola Moto G6 Play
  • LG K9 (LM-X210EMW)
  • LG Q6 Alpha (LG-M700n)
  • Motorola Moto G6 Play (Brasil)
  • Motorola One
  • Nokia 3.1
  • Nokia 3.1 (Estados Unidos)
  • Nokia 7.1
  • Oukitel VU
  • Samsung Galaxy A7 (2018)
  • Samsung Galaxy A8 (32GB) (SM-A530F/DS)
  • Samsung Galaxy A8 (64 GB)
  • Samsung Galaxy A8+ (SM-A730F)
  • Samsung Galaxy J8 (Brasil)
  • Sony Xperia L2 (H3311)
  • Sony Xperia L2 (H3321)
  • Sony Xperia XZ2 (H8216)
  • Sony Xperia XZ2 (Estados Unidos)
  • Sony Xperia XZ2 Compact (H8314)
  • Sony Xperia XZ2 Compact (Estados Unidos)
  • Sony Xperia XZ2 Compact Dual SIM (H8324)
  • Sony Xperia XZ2 Dual SIM (H8266)
  • Sony Xperia XZ2 Premium (Estados Unidos)
  • Sony Xperia XZ3
  • Vodafone Smart N9
  • Xiaomi Mi A2
  • Xiaomi Mi A2 (32GB)

Abaixo, os que conseguiram resistir à foto em alta resolução e negaram acesso:

  • Alcatel 3V (5099D)
  • Alcatel 5
  • Apple iPhone Xr (128 GB)
  • Apple iPhone Xr (256 GB)
  • Apple iPhone Xr (64 GB)
  • Apple iPhone Xs (256GB)
  • Apple iPhone Xs (512GB)
  • Apple iPhone Xs (64GB)
  • Apple iPhone Xs Max (256GB)
  • Apple iPhone Xs Max (512GB)
  • Apple iPhone Xs Max (64GB)
  • Asus Zenfone Max Plus (ZB570TL)
  • Honor 10
  • Honor 7C
  • Honor 8X
  • Honor View 10
  • HTC U12+ (União Europeia)
  • HTC U12+ (Estados Unidos)
  • Huawei P Smart+
  • Huawei Y6 (2018) (ATU-L21)
  • Huawei Y7 (2018)
  • Huawei Mate 20
  • Huawei Mate 20 Lite
  • Huawei Mate 20 Pro
  • Lenovo Motorola Moto G6 (32GB)
  • Lenovo Motorola Moto G6 (64GB)
  • Lenovo Motorola Moto G6 (Estados Unidos)
  • Lenovo Motorola Moto G6 Plus
  • Lenovo Motorola Moto Z3 (Estados Unidos)
  • Lenovo Motorola Moto Z3 Play
  • Lenovo Motorola Moto Z3 Play (Estados Unidos)
  • Motorola Moto G6 (Brasil)
  • Motorola Moto G6 Plus (Brasil)
  • One Plus 5T
  • OnePlus 6 (128GB)
  • OnePlus 6 (256GB)
  • OnePlus 6 (64GB)
  • OnePlus 6 (64 GB) (Estados Unidos)
  • Oppo Find X
  • Samsung Galaxy A6 (32GB)
  • Samsung Galaxy A6 + (32GB)
  • Samsung Galaxy A6 + (64 GB)
  • Samsung Galaxy A9 (2018)
  • Samsung Galaxy J6 (2018)
  • Samsung Galaxy Note 9 (128 GB) (Estados Unidos)
  • Samsung Galaxy Note 9 (128 GB) Dual SIM (Brasil)
  • Samsung Galaxy Note 9 (128 GB) Single SIM (Estados Unidos)
  • Samsung Galaxy Note 9 (SM-N960U1) (Estados Unidos)
  • Samsung Galaxy S9 (SM-G960F/DS)
  • Samsung Galaxy S9 (SM-G960U1) (Estados Unidos)
  • Samsung Galaxy S9 (256 GB)
  • Samsung Galaxy S9 dual (128GB)
  • Samsung Galaxy S9+ (SM-G965F/DS)
  • Samsung Galaxy S9+ (256 GB)
  • Samsung Galaxy S9+ dual SIM (128GB)
  • Samsung Galaxy S9+ single SIM
  • Samsung Galaxy S9+ (SM-G965U1) (Estados Unidos)
  • WIKO View 2

Vale destacar que alguns aparelhos — como os LG G7V35V40 e o Honor 7A — só passaram após o aumento das restrições de segurança realizado nas Configurações. A conclusão do levantamento é que esse cenário é preocupante, principalmente pela maneira como essa ferramenta é oferecida aos usuários.

Embora a maioria das fabricantes alertem sobre a imprecisão de seus sistemas de identificação e avisem que ativá-los talvez não seja a melhor forma de manter seu aparelho protegido, grande parte das pessoas veem esse recurso como uma linha de defesa contra o acesso de pessoas desconhecidas. Ou seja, tanto as políticas de uso quanto as campanhas de marketing, os softwares e hardwares precisam ser aprimorados para que esses produtos sejam vistos como mais confiáveis.

Especialista diz que senha continua sendo mais seguro

Quando veiculamos uma matéria sobre uma réplica de uma cabeça sendo usada em um teste semelhante, publicamos o que um especialista em segurança recomenda. E o que ele disse continua valendo por aqui também: “Concentre-se no aspecto secreto, que é o PIN e a senha. A realidade de qualquer biometria é que ela pode ser copiada. Qualquer pessoa com tempo, recursos e objetivos suficientes pode investir tempo para falsificar seus dados biométricos”, diz Matt Lewis, diretor de pesquisa da firma de segurança NCC Group.

Além disso, atualmente há chaves físicas e verificação em duas etapas que oferecem uma camada extra de segurança. Não é tão prático e rápido quanto olhar para o display ou colocar o dedo no aparelho, entretanto, continua sendo a melhor linha primária de defesa.

Cupons de desconto TecMundo: