Diferente do abuso sexual, a estadunidense Ferial Nijem sofreu algo chamado de “abuso tecnológico”: vivendo com seu ex-marido em uma casa completamente conectada à internet, Nijem era constantemente vigiada e até acoada por meio de dispositivos de monitoramento dentro da residência.

Os relacionamentos abusivos estão se valendo de novas tecnologias para continuar existindo

Descrevendo a situação como viver em um filme de terror, Nijem descreveu como ela foi perseguida, intimidada e monitorada ao longo do tempo. A casa em que o casal viveu contava com um sistema inteligente de automação que interligava as lâmpadas, aquecimento, cortinas, sistema de som e câmeras de segurança: tudo isso era controlado por aplicativos em um smartphone.

“Ele era capaz de me monitorar por meio do sistema de vigilância de câmeras, mesmo completamente longe de mim”, comenta Nijem. A mulher descreve um dos momentos que passou quando começou a ter problemas no relacionamento: “no meio da noite, eu e meus cachorros éramos acordados por uma música alta no sistema de som. Ainda, luzes piscando na casa e os televisores sendo ligados e desligados incessantemente. Parecia uma casa assombrada. Isso apenas servia para me causar um trauma, medo, ansiedade”.

CBCNijem (Foto: Makda Ghebreslassie/CBC)

Nijem explica que se ela escolhesse desligar completamente o sistema conectado da casa, isso significa que simplesmente “toda a casa era desligada”. Ela acabaria ficando em uma casa totalmente às escuras; simplesmente nada funcionava, nem as luzes do teto.

Segundo uma representante do Women of Means, nos Estados Unidos, em entrevista para a CBC, esse tipo de tecnologia, nas mãos de um abusador, “pode rapidamente se tornar em um método de controle, stalk e causar angústia mental para a parceira. A nova tecnologia é simplesmente um novo meio no qual abusadores podem continuar com seu antigo comportamento”. O grupo ainda adiciona que vítimas de abuso tecnológico devem mudar as senhas e usar autenticação de dois fatores em dois dispositivos — mas, vamos combinar: se você sofre qualquer tipo de abuso, talvez não esteja em um campo seguro para ficar.

Os abusadores domésticos sempre podem encontrar maneiras novas e avançadas de causar danos

Sobre o caso de Nijem, ela ainda tentou um contato com a polícia local, que comentou que não poderia fazer nada já que seu marido era listado como dono da casa. Tempo depois, ela encontrou ajuda em um “abrigo para mulheres” e agora trabalha com organizações que ajudam vítimas de violência doméstica, compartilhando sua história e as lições aprendidas com outras pessoas.

“Os abusadores domésticos sempre podem encontrar maneiras novas e avançadas de causar danos", disse Nijem. "Mas essas empresas precisam recuperar esse atraso, as leis e as políticas de proteção precisam ser atualizadas porque o abuso de tecnologia é um problema crescente”.

Cupons de desconto TecMundo: