Brian Acton, cofundador do WhatsApp, afirmou que “é um vendido e reconhece isto” durante entrevista para a Forbes. No caso, Acton comentava o momento que o Facebook resolveu comprar o WhatsApp em um negócio de US$ 22 bilhões — cerca de R$ 88 bilhões na cotação atual do dólar.

Acton 'vendeu a privacidade dos usuários para um benefício maior'

O cofundador do WhatsApp é claro, durante a entrevista, ao também afirmar que “vendeu a privacidade dos usuários do aplicativo para um benefício maior”. Acton também comentou que, infelizmente, o CEO do Facebook Mark Zuckerberg enxerga o WhatsApp apenas como mais um de seus produtos dentro de um guarda-chuva, como o Instagram. “No final do dia, vendi minha empresa. Eu sou um vendido. Eu reconheço isso”, disse o cofundador.

Durante a entrevista para a Forbes, Acton ainda comentou sobre como o Facebook explorou o WhatsApp para descobrir maneiras de monetizar o produto.

Sobre este ponto, o cofundador propôs monetizar o WhatsApp cobrando um décimo de centavo depois que um grande número de mensagens gratuitas foi usado. "Você desenvolve apenas uma vez, funciona em todos os lugares em todos os países. Você não precisa de uma força de vendas sofisticada. É um negócio muito simples”. Acton afirma que o Facebook não concordou com a metodologia.

Você pode acompanhar a entrevista completa aqui

Cupons de desconto TecMundo: