No começo do ano, o presidente da Venezuela Nicolás Maduro havia revelado um plano de lançar a Petro, primeira criptomoeda nacional. Algum tempo depois, mais detalhes sobre a criptomoeda surgiram, indicando que elas seriam utilizadas para financiar a construção de casas para pessoas sem-teto, por exemplo. Agora, Maduro afirmou que a Petro — já existente no mercado local — poderá ser usada para transações internacionais a partir do primeiro dia de outubro deste ano.

Um estudo da Reuters indicou que a Petro praticamente ainda não gira no mercado

“No dia 1 de outubro, a Petro vai tornar um meio para trocas de mercadorias, compras e conversão de moedas para todo o mundo”, afirmou Nicolás Maduro, segundo o Sputnik News.

A Venezuela espera arrecadar US$ 6 bilhões de investidores na criptomoeda. O Telesur nota que esses investidores são provenientes da Turquia, Qatar e até Estados Unidos. O petróleo crava 95% de todas as exportações venezuelanas.

Apesar disso, um estudo da Reuters indicou que a Petro praticamente ainda não gira no mercado, “sendo mais um sopro de vento do que uma criptomoeda”, afirma.

Cupons de desconto TecMundo: