O MyHeritage, uma plataforma de genealogia online que oferece serviços e produtos web, sofreu uma invasão hacker em junho e acabou perdendo os dados de mais de 92 milhões de usuários em todo o mundo. Pouco tempo depois, a Comissão de Proteção dos Dados Pessoais do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) requisitou mais informações à plataforma, principalmente para entender sobre quais dados de brasileiros foram afetados. Ontem (29), o MyHeritage confirmou ao MPDFT que vazou os dados de mais de 3 milhões de usuários do Brasil.

“Mais de 3 milhões de clientes foram afetados no Brasil pelo incidente de segurança do site MyHeritage. Procedimento está sob sigilo a pedido da empresa”, afirmou o órgão público. “A empresa israelense MyHeritage respondeu aos questionamentos feitos pela Comissão de Proteção de Dados Pessoais sobre o vazamento de e-mails de seus usuários. Segundo o documento, 3.360.814 clientes brasileiros foram afetados pelo incidente de segurança, sendo que 106.880 eram menores de idade à época do incidente, em 26 de outubro de 2017”.

Seja banco ou plataforma: se houve qualquer indicação de vazamento, por menor que seja, a recomendação é trocar a senha

De acordo com o MPDFT, a empresa relatou que não ocorreu o comprometimento de nomes, endereços, números de cartões de crédito ou dados sensíveis como os oriundos de árvores genealógicas e de DNA. Apenas e-mails teriam sido vazados, pois as senhas obtidas pelos criminosos estavam criptografadas.

Em Israel, a Autoridade de Dados Israelense (Israeli Privacy Protection Authority) encerrou a investigação sobre o incidente declarando que a MyHeritage não violou a lei. A pedido da empresa, foi decretado o sigilo do procedimento do Ministério Público com base no artigo 206 da Lei nº 9.279/96.

De acordo com a Comissão de Proteção dos Dados Pessoais do MPDFT, a orientação é que os clientes da MyHeritage que não tenham trocado as senhas de acesso ao site após junho de 2018, devem fazê-lo por precaução.

Cupons de desconto TecMundo: