Reconhecimento facial flagra primeiro impostor em aeroporto nos EUA

1 min de leitura
Imagem de: Reconhecimento facial flagra primeiro impostor em aeroporto nos EUA
Avatar do autor

A tecnologia de reconhecimento facial vem sendo instalada em diversos locais onde são necessárias checagens de identidade, a exemplo dos aeroportos. E o sistema do Aeroporto Internacional Washington Dulles foi o primeiro a flagrar um impostor, que tentava entrar nos Estados Unidos depois de passar pelo Brasil.

Um homem de 26 anos com passaporte francês foi barrado pela Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos (CBP, em inglês) porque o software identificou que sua imagem não combinava com a foto do documento. Ao ser questionado por oficiais, ele acabou revelando seu verdadeiro RG, confeccionado na República do Congo e que estava escondido debaixo da palmilha do tênis.

Por fim, autoridades federais decidiram por não processar o rapaz, que não teve seu nome divulgado, e o liberaram para deixar o país. Com o sucesso da operação, outros órgãos vêm buscando aperfeiçoar e distribuir a tecnologia para vários locais. Até agora 14 aeroportos estadunidenses usam o reconhecimento facial para monitorar a chegada e saída de passageiros — e a ideia é, no futuro breve, até mesmo substituir os passaportes tradicionais.

reconhecimento facialDocumento original escondido no tênis do infrator

"Terroristas e criminosos buscam continuamente métodos criativos para entrar nos EUA, inclusive usando documentos genuínos roubados. A nova tecnologia de reconhecimento facial praticamente elimina a capacidade de alguém usar um documento original que foi emitido para outra pessoa", comemora Casey Durst, diretor do escritório CBP em Baltimore.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Reconhecimento facial flagra primeiro impostor em aeroporto nos EUA