O Pentágono dos Estados Unidos trabalha há seis meses em uma lista negra de fabricantes. A lista, até então chamada de "Não Compre", servirá para órgãos governamentais e deve possuir fabricantes que usam softwares com códigos russos ou chineses, segundo a Reuters.

"O que estamos fazendo é garantir que não compremos softwares que tenham origem russa ou chinesa, por exemplo, e muitas vezes isso é difícil de perceber à primeira vista por causa das holdings", comentou Ellen Lord, do Departamento de Defesa dos EUA. "Já identificamos certas empresas que não operam de maneira consistente com o que temos para os padrões de defesa".

Nomes de fabricantes não foram citados, mas há meses a Kaspersky enfrenta problemas em território estadunidense, por exemplo. Em entrevista ao TecMundo, o CEO Eugene Kaspersky notou que o momento parece "uma guerra fria civil, uma guerra fria política nos Estados Unidos. Eles usam a Rússia como argumento para essa briga. Então, estar no meio desse conflito como uma companhia não é algo prazeroso, não é confortável. E todas essas notícias falsas e mensagens falsas que eles usam, eu me sinto como um boneco no jogo político. Eu não posso mudar [isso], porque é uma criação deles. A única coisa que eu posso fazer é explicar que não é verdade".

Caso a lista negra que vem sendo desenvolvida pelo Pentágono for divulgada, você encontrará mais detalhes em nosso canal dedicado ao assunto.

Cupons de desconto TecMundo: