A Polícia Civil do Tocantins recuperou cerca de R$ 710 mil em bitcoins roubados por uma quadrilha de hackers que atuava no estado e também em Goiás. A busca fez parte da Operação Ostentação, que investiga suspeitos de invadir contas bancárias por todo o Brasil e usar os bitcoins como forma de movimentar o dinheiro roubado.

De acordo com a polícia, o computador de um dos investigados continha uma base de senhas com 36 serviços de transações de criptomoedas, correspondendo a um total de 28.6322113 bitcoins. A polícia obteve autorização judicial para negociar as moedas por R$ 24.820 a unidade, recuperando R$ 710.479,95 que foram transferidos para uma conta judicial.

Uma única instituição bancária teve prejuízo de cerca de R$ 1 milhão por causa da ação dos hackers.

Apesar do dinheiro recuperado, há indícios de que a quadrilha teria movimentado até R$ 10 milhões em bitcoins. Uma única instituição bancária teve prejuízo de cerca de R$ 1 milhão por causa da ação dos hackers.

Ainda segundo a polícia, diversas técnicas diferentes foram utilizadas para descobrir informações bancárias de clientes como números de conta, agência e senhas. Algumas teriam sido obtidas com a invasão de roteadores vulneráveis — um problema sério de segurança que continua acontecendo — enquanto outras vieram de pessoas vítimas de técnicas de engenharia social.

Todos os investigados na ação estão com contas bancárias, aplicações financeiras e imóveis bloqueados. Eles respondem ao processo em liberdade.

Cupons de desconto TecMundo: