O governo chinês tem se superado quando o assunto é vigilância da população. O reconhecimento facial em tempo real já é uma realidade, tanto que até câmeras do metrô de algumas cidades serão utilizadas para monitorar os cidadãos.

Todas essas medidas fazem parte de um sistema de pontuação do governo, chamado de Crédito Social. Através dele, cada pessoa é avaliada com relação a seu comportamento rotineiro e recebe uma nota, que interfere no acesso a serviços específicos.

Pássaro espião

Quase sempre existem câmeras em ambientes fechados, mas como monitorar pessoas andando pelas ruas? Esse problema foi solucionado com o uso de drones, mas não da forma como os conhecemos.

Nos últimos anos, mais de 30 agências militares e de governo chinesas têm utilizado drones que se parecem com pássaros, pelo menos em cinco províncias do país, de acordo com o South China Morning Post.

Com experiência no desenvolvimento de caças, o professor da Universidade Politécnica do Noroeste, em Xian, Song Bifeng dirige o programa responsável pelos pássaros/drones, que possui o codinome “Dove”.

Os equipamentos de monitoramento batem asas como um pássaro real, através de motores elétricos, e são equipados com GPS, câmera de alta definição, sistema de controle de voo e capacidade de estabelecer um link de dados diretamente com satélites em órbita.

Segundo Yang Wenqing, um dos cientistas que trabalham com Bifeng no projeto, poucos drones desse tipo estão em operação. Apesar disso, a equipe acredita que existe potencial para adoção em larga escala, com vantagens únicas para uso da solução tanto por civis quanto por militares.

Apenas a existência desse tipo de equipamento já algo assustador. Aqui no Brasil, ainda não somos monitorados de forma tão invasiva por câmeras (pelo menos não tão explicitamente), mas já temos nossos passos acompanhados por empresas que nem sempre visam somente ao nosso bem-estar. Então, quando olhar pro céu, aproveite para admirar os pássaros enquanto todos são reais.

Cupons de desconto TecMundo: