Marcus Hutchins comprou um domínio em 2017 e, sem saber direito do que se tratava, conseguiu frear a ação do ransomware que assolou mais de 150 países e sequestrou mais de 300 mil computadores, o WannaCry. Agora, o hacker está sendo processado por criar o malware bancário Kronos, que roubava dados como conta corrente e senhas de vítimas.

A justiça dos Estados Unidos está processando Hutchins com seis acusações de desenvolvimento e distribuição do malware da Kronos, que roubou credenciais bancárias de usuários em todo o mundo entre 2014 e 2015, nota o HackRead.

Ao final do processo, caso seja condenado, Huthcins pode pegar alguns anos de prisão

Hutchins já havia sido preso em 2017 pelo FBI. Na época, a história do Kronos já estava rolando. O procurador Dan Cowhig, responsável pela acusação a Hutchins, recomendou à corte federal que ele não deixasse a prisão na época por supostamente representar “perigo ao público”. “Ele admitiu ser o autor do código do malware Kronos e indicou tê-lo vendido”, afirmou Cowhig.

Para afirmar isso, a procuradoria citou conversas entre Hutchins e outra pessoa não identificada obtidas pela Justiça. Nelas, o hacker estaria reclamando justamente do valor recebido pela venda dos códigos do malware que assombrou instituições financeiras estadunidenses há alguns anos.

Cupons de desconto TecMundo: