Um relato da Motherboard trouxe um assunto que muitas pessoas simplesmente desconhecem: certos cargos de funcionários no Facebook podem fuçar os seus dados, e isso inclui as suas conversas, na rede social. Obviamente, o Facebook tem uma política sobre isso e proíbe o acesso sem autorização. Contudo, o número de demissões de funcionários que usam o recurso para stalkear outras pessoas parece ser bem alto.

Na terça-feira passada (1), o Facebook demitiu um funcionário que usava seus privilégios para stalkear mulheres na rede social. Além dele, diversos ex-funcionários comentaram para a Motherboard como pessoas dentro da empresa, principalmente o pessoal que trabalha na equipe de segurança, possuem supervisão no que acessam.

Funcionários que abusam dos controles serão demitidos, disse o Facebook

"Um ex-funcionário do Facebook comentou que várias pessoas foram demitidas por abusar do acesso aos dados, incluindo para rastrear ex-namoradas (...) Outro empregado do Facebook disse que sabia de três casos nos quais pessoas foram demitidas por mau uso de dados, incluindo stalkear pessoas", são alguns dos trechos dos relatos da Motherboard.

Por outro lado, os ex-funcionários também notam que o Facebook, caso descubra, não costuma ser convalescente com esse tipo de "invasão", até por isso o número de demissões ser mais alto. É comentado até sobre um sistema que pergunta ao funcionário "o que ele faz mexendo em um perfil" enquanto navega — esse sistema pergunta até se o funcionário possui autorização para estar ali.

Sobre o caso, líder de segurança no Facebook, Alex Stamos, foi claro: "Funcionários que abusam dos controles serão demitidos. É importante que as informações das pessoas sejam mantidas em segurança e privadas quando elas usam o Facebook. É por isso que temos controles rígidos de políticas e restrições técnicas para que os funcionários acessem apenas os dados de que precisem para realizar seus trabalhos, por exemplo, corrigir bugs, gerenciar problemas de suporte ao cliente...", disse.

Cupons de desconto TecMundo: