Um homem foi sentenciado a sete anos e três meses de prisão por invadir o sistema de uma cadeia e alterar os dados para fazer com que seu amigo fosse liberado antes do previsto. O caso aconteceu na cidade de Ypsilanti, no estado norte-americano do Michigan, e envolveu Konrads Voits, um cidadão de 27 anos.

Voits tentou invadir o sistema de várias formas diferentes. Na primeira delas, ele criou uma versão falsa do site da cidade e enviou o link por e-mail para funcionários do presídio. Era uma tática de engenharia social para tentar fazer com que alguém colocasse suas informações de acesso ao sistema no site falso, entregando login e senha para o hacker. No entanto, o plano não deu certo porque nenhum dos funcionários foi enganado.

O primeiro plano não deu certo porque nenhum dos funcionários foi enganado.

A segunda ideia foi mais bem-sucedida, pelo menos a princípio. Ele ligou para os funcionários fingindo ser membro da equipe de TI e fez com que eles instalassem uma atualização para o aplicativo que controla o sistema da cadeia. A atualização não passava de um arquivo infectado que enviou os detalhes confidenciais dos usuários para Voits.

Mas, como você sabe, a situação não terminou bem para os dois amigos. A invasão foi detectada no momento em que ele entrou no sistema e modificou a data, embora detalhes de como isso foi feito não tenham sido divulgados. O FBI foi chamado e logo conseguiu localizar Voits, que assumiu a culpa. Agora, além de condenado a ficar na prisão até 2025, ele terá que pagar uma multa de US$ 235.488 (R$ 821.171).

Cupons de desconto TecMundo: