A ex-diretora da Cambridge Analytica (CA) Brittany Kaiser afirmou que o número de usuários do Facebook com informações comprometidas é “muito maior do que 87 milhões”. Além disso, a ex-funcionária da empresa revelou que a possibilidade de a companhia acessar a dados do Facebook era conhecida e até mesmo usada como ferramenta de marketing junto a clientes.

As revelações aconteceram durante o depoimento de Kaiser ao Parlamento Britânico e sugerem de forma clara que a CA não apenas sabia das possibilidades de acesso indevido aos dados de milhões de usuários do Facebook como usavam essa “facilidade” para tentar costurar novos negócios.

“O acesso aos dados do Facebook fazia parte do plano de vendas e marketing da Cambridge Analytica para clientes comerciais, de defesa e de política durante o meu tempo na empresa — mesmo depois de o Facebook solicitar a exclusão dos dados”, afirmou a ex-executiva.

Apesar de garantir que nunca teve acesso direto às informações, ela garante ter sido informada sobre a aquisição dos dados. Ainda de acordo com o seu depoimento, Kaiser diz que a empresa sempre passou a ela a informação de que tudo respeitava os dispositivos legais e as normas de uso do Facebook.

Brittany KaiserBrittany Kaiser durante depoimento no Parlamento do Reino Unido.

“Muito mais de 87 milhões”

Entre as revelações feitas por Brittany Kaiser durante o seu depoimento, que pode ser conferido na íntegra neste link (PDF em inglês), está outra informação alarmante: o número total de pessoas afetadas pode ser muito maior do que “apenas” 87 milhões de usuários do Facebook.

“Creio ser quase certo que o número de usuários do Facebook cujos dados foram comprometidos por meio de rotas similares à usada por Kogan é muito maior do que 87 milhões; e tanto a Cambridge Analytica quanto outras companhias e campanhas não conectadas estão envolvidas nessas atividades”, diz a ex-diretora.

Aleksandr Kogan é o responsável pelo desenvolvimento de um teste de personalidade para Facebook que teve acesso legítimo a dados de 270 mil usuários da rede social. Por consequência, o mesmo teste obteve informações pessoais a dezenas de milhões de amigos conectados a esses utilizadores, e essas informações posteriormente foram repassadas à CA.

A possibilidade de ser ainda maior o número de pessoas com informações pessoais violadas pela Cambridge Analytica já havia sido levantada anteriormente. No início deste mês, o ex-funcionário da empresa Christopher Wylie, responsável por denunciar o caso à imprensa, comentou a respeito disso em entrevista à NBC.

Cupons de desconto TecMundo: