Em 2016, aconteceu uma guerra judicial entre FBI x Apple. O FBI exigia que a Apple desenvolvesse um backdoor para iPhones. Por outro lado, a Apple deixava claro que o desenvolvimento de um backdoor acabaria com a segurança de iPhones. No final das contas, o FBI conseguiu por meios próprios invadir o smartphone em questão e essa guerra foi para baixo dos panos — para você relembrar o caso, clique aqui.

Contudo, um novo relato do The New York Times mostra que tanto o FBI quanto o Departamento de Justiça dos Estados Unidos estão lutando judicialmente para que companhias de tecnologia desenvolvam backdoors para seus produtos, principalmente smartphone.

O backdoor seria uma porta: ele permitiria o acesso ao conteúdo do smartphone via hacking, mesmo com o aparelho criptografado. As agências policiais alegam que um backdoor facilitaria o trabalho policial, principalmente no que toca junção de provas. Novamente, por outro lado, empresas de tecnologia alegam que um backdoor nas mãos erradas colocaria em risco qualquer pessoa com um smartphone nas mãos.

"Enfraquecer a segurança não faz sentido quando você considera que os consumidores confiam em nossos produtos para manter as informações pessoais seguras"

"Autoridades policiais reavivaram as conversas dentro do poder executivo sobre se devem pedir ao Congresso para promulgar uma legislação que determine os mecanismos de acesso. A Casa Branca, de Donald Trump, circulou um memorando no mês passado entre as agências de segurança e econômicas, descrevendo maneiras de solucionar o problema, disseram as autoridades", nota o NYT.

O jornal nota que os órgãos policiais dos EUA já trabalham com pesquisadores de segurança em mecanismos que concedam este tipo de acesso backdoor. Além disso, que eles acreditam que esses mecanismos não vão "enfraquecer" a segurança de dispositivos.

Craig Federighi, vice-presidente da Apple, pensa o contrário e não concorda com essa afirmação. "Enfraquecer a segurança não faz sentido quando você considera que os consumidores confiam em nossos produtos para manter as informações pessoais seguras, tocar os próprios negócios e até gerenciar infraestruturas vitais, como sistemas de energia e de transporte".

  • Qual sua opinião sobre o caso? As empresas deveriam conceder acesso ao FBI e outros órgãos? Deixe sua opinião nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: