O Facebook lançou na última semana o Bolt App Lock, um aplicativo dedicado à segurança do usuário e que, a um primeiro olhar, não traz nada de equivocado. Estar seguro é sempre bom, ainda mais na internet, um ambiente repleto de ameaças, certo? Pois é, o problema é que a iniciativa da empresa ia além de apenas proteger os usuários.

O aplicativo lançado pela Onavo (companhia de VPN que pertence ao Facebook) prometia bloquear com senha o acesso a qualquer outro app instalado em um dispositivo. E ele realmente fazia isso, contudo, segundo apontou a companhia de inteligência de dados Sensor Tower, o Bolt App Lock também monitorava dados do usuário, enviando tudo ao Facebook.

E o pior é que essa característica não estava oculta: a sua presença era revelada na descrição do app na Play Store. “Nós coletamos informações do seu dispositivo móvel e dos apps instalados nele”, registrava o texto de apresentação do Bolt App Lock. “Isso inclui informações a respeito de quando esses apps são usados, além de informações sobre rede e dispositivo.”

Bolt App LockBolt App Lock mal chegou e já foi embora.

A justificativa para isso, segundo a descrição, era “aprimorar os serviços”. “Como somos parte do Facebook, também usamos essas informações para aprimorar produtos e serviços do Facebook”, revelava a descrição do app sem qualquer pudor. Em suma, vigilância pura e simples e especialmente nociva para os mais desavisados, que instalam um aplicativo sem antes ler tudo o que ele pode fazer com o seu dispositivo.

Pouco tempo depois de lançado, porém, o Bolt App Lock foi retirado do ar e não está mais disponível para download na Play Store.

Outra vez

Vale lembrar também que esta não é a primeira vez neste mês em que o Facebook se envolve em polêmicas sobre vigilância e privacidade. Na última semana, o pesquisador de segurança Will Strafach revelou que a VPN nativa incluída pela rede social em seu app para iOS, também desenvolvida pela Onavo, monitora dados dos usuários mesmo quando desativada.

Cupons de desconto TecMundo: