Divisor de opiniões, um jogo está sendo desenvolvido pelo exército dos Estados Unidos com o intuito de abordar como podem funcionar os massacres em escolas estadunidenses, país em que armas têm uma política liberal de comercialização e circulação. De acordo com os agentes da Segurança Nacional dos EUA, o simulador deve ser lançado até o final deste semestre.

O Gizmodo postou um curto vídeo que fala um pouco sobre os detalhes da produção, cujo objetivo principal é “treinar e orientar professores sobre o que fazer em casos de emergência”. O que vemos, em miúdos, é um shooter elaborado de maneira didática para ilustrar esse propósito. Confira:

Foco: aumentar possibilidades de sobrevivência

Uma das especialistas envolvidas no desenvolvimento, Tamara Griffith, explica que “as hipóteses de sobrevivência aumentam se os envolvidos souberem melhor como as coisas funcionam na prática”.

O gameplay mostra trechos em corredores e apresenta visões distintas, como se o jogador assumisse diferentes papéis: o das vítimas (que incluem alunos e professores) e o dos agressores.

O simulador será lançado para PC e não há informações sobre a comercialização ou distribuição do produto. Ele será utilizado apenas para fins didáticos.

Ousado, jogo criado por exército americano aborda massacres em escolas via Voxel

Cupons de desconto TecMundo: