Que atire a primeira pedra aquele que mantém backups periódicos de todos os seus arquivos mais preciosos. Pois é, não há como negar que isso é algo que pouca gente costuma fazer hoje em dia, por mais importante que essa tarefa seja para evitar a perda de informações importantes.

Infelizmente, o problema é ainda pior quando falamos do caso dos backups dos servidores de empresas. Por mais que companhias costumem ter sistemas inteiros supostamente dedicados a isso, não é incomum saber de histórias de funcionários que acabaram “relaxando” com a importância de fazer cópias de segurança. Isso sem falar, claro, nas vezes em que isso é deixado de lado por completo.

Mas afinal, por que se preocupar tanto com a perda de alguns dados? Bem, você vai mudar de ideia depois de conferir a lista abaixo, feita pelo TecMundo e a Seagate, que traz alguns exemplos de problemas de enorme escala e que causaram prejuízos ainda maiores para companhias que não tomaram o cuidado que deviam com seus dados.

1- Toy Story 2 e o filme (quase) apagado

Toy Story 2

Começamos nossa lista com um caso que é provavelmente o mais famoso para o público comum. O fato é que, lá em 1998, uma pequena falha cometida por um dos funcionários – mais exatamente, uma linha de código minúscula inserida por ele acidentalmente – fez com que 90% do filme fosse completamente apagado dos servidores. Para ajudar, é claro, o backup do sistema existia, mas não estava funcionando há meses.

“Então a Pixar teve que refazer todo o filme?” Felizmente, não foi o caso. Uma das funcionárias da empresa, por sorte, estava trabalhando diretamente de casa e, por isso, tinha uma cópia de boa parte da animação em seu PC. Agora a Pixar garante que tem muitas cópias extras de seus trabalhos (e mais segurança para evitar que tudo seja apagado por algumas teclas pressionadas sem querer).

2- Falha humana

Deixar alguém responsável por cuidar dos servidores pode parecer uma ótima ideia, mas e se ela não fizer o trabalho que devia para manter tudo como devia? Caso em voga, uma grande universidade que, segundo o EnvisionIT Solutions, passou por vários problemas quando três de seus servidores “morreram”.

O motivo das falhas? Como foi descoberto mais tarde, o funcionário contratado para trocar as fitas de backup dos servidores, fazendo com que os backups dos dados simplesmente não estivesse mais sendo executado por meses. A boa notícia é que a universidade conseguiu copiar os dados de seus servidores mortos, resultando em uma perda de dados mínima.

3- DreamHost e a grande perda de dados de 2007

Conhecida como um dos serviços de hospedagem de sites mais famosos do mundo, a DreamHost passou por maus bocados quando mais de 700 sites e 3.500 contas FTP em seus servidores tiveram seus dados comprometidos, lá em 2007. Para piorar, a falha ganhou proporções ainda maiores quando, ao tentar corrigir um problema em um de seus roteadores, vários de seus clientes começaram a relatar que seus sites estavam fora do ar.

Após maiores estudos, a empresa descobriu que os scripts usados por eles estavam apagando registros de DNS, por culpa de um bug IOS que gerou uma reação em cadeia. Uma falha que, vale notar, poderia ter sido evitada caso eles simplesmente tivessem atualizado a plataforma quando um novo update foi lançado – mas que eles preferiram evitar por pedir algum tempo do serviço fora do ar. Como você deve ter notado, o barato saiu caro.

4- Os prisioneiros e o pendrive perdido

Pendrive e PC

Você consegue imaginar o quão caótico seria se os dados de todos os prisioneiros de uma penitenciária fossem simplesmente perdidos? Pois então pense em como foi o desespero causado quando o governo britânico perdeu todos os dados de seus 84 mil prisioneiros espalhados pela Inglaterra e por Gales. Isso sem falar, claro, nos dados pessoais de 33 mil pessoas com seis ou mais condenações nos últimos 12 meses, quase dez mil infratores de alta prioridade... Enfim, dá para imaginar o tamanho da confusão.

Seria uma falha de software? De hardware? Ou quem sabe uma brecha na segurança? Infelizmente, foi muito pior: um funcionário descuidado. Em resumo, um dos funcionários do British Home Office achou que era uma boa ideia guardar todos os dados dos servidores relacionados a infratores da lei em um simples pendrive. Como não poderia deixar de ser, ele acabou perdendo o dispositivo.

5- Um fotógrafo, um casamento, zero fotos

Fotógrafo casamento

Embora seja um dos casos com menores repercussões, este é um que certamente vai deixar mais gente com pena. O motivo? A falha não envolveu grandes empresas, mas sim um fotógrafo que acabou perdendo as imagens que registrou de um casamento.

A pior parte é que ele possuía um sistema de segurança, mas não checou se ele estava funcionando. Assim, quando passou os dados de sua câmera para o computador, o fotógrafo não esperava que o disco rígido da máquina iria falhar. Nem que seu backup já não estava operando há algum tempo. Então ele simplesmente formatou os dados da câmera para outra sessão e, quando percebeu, já era tarde demais.

Moral da história? Não adianta confiar apenas em seu hardware e não ficar atento ao estado dele.

6- Faltou segurança na JPMorgan Chase

Foto JPMorgan Chase Co.

A companhia bancária norte-americana JPMorgan Chase, por sua vez, entrou para a história por um dos maiores roubos de dados já registrados. O vazamento, que ocorreu em 2014, incluía nomes, emails, endereços e números de telefone de aproximadamente 76 milhões de domicílios e 7 milhões de pequenas empresas.

Como os hackers conseguiram invadir os servidores da companhia, que havia investido US$ 250 milhões na segurança de seu sistema? Simples: usando as credenciais de um funcionário do banco. Como a empresa não utilizava o método de autenticação em dois passos – algo que, já na época, havia se tornado bastante comum –, os invasores conseguiram roubar dados de pelo menos 90 servidores antes de serem detectados.

7- Até o Gmail erra

Se você pensa que esse tipo de caso é limitado apenas a empresas das mais descuidadas, é melhor pensar de novo. Até mesmo a Google já causou dores de cabeça para seu público, quando uma de suas atualizações de software fez com que uma porcentagem de seus usuários perdesse todos os dados de suas contas no Gmail.

Não é preciso dizer que os prejuízos com essa falha foram enormes. Um empresário em específico, por exemplo, relatou ter perdido mais de 2 mil contatos, visto que ele não mantinha backups de suas informações. E dos afetados, só uma pequena parte deles conseguiu recuperar o que perdeu.

Seu servidor a prova de falhas

Depois de todos os exemplos que falamos acima, vamos nos arriscar a dizer que você provavelmente entendeu bem como ter o cuidado certo em seus servidores faz toda a diferença. Mas com isso, vem outra pergunta óbvia: o que usar para se proteger?

A solução, nesse caso, é apostar na Seagate e sua poderosa linha de discos rígidos para NAS IronWolf Pro. Feitos para trabalhar ininterruptamente, esses HDs, disponíveis em opções a partir de 4 TB de armazenamento, esses acessórios têm como principal destaque o suporte ao software IronWolf Health Management (IHM), feito para trabalhar com dados de rede IronWolf em soluções de armazenamento Asustor e Synology.

Que vantagens isso traz para o cuidado de seus servidores? Muitos deles, de fato. Para começar, o IronWolf Pro monitora seu servidor muito além do comum sistema de gerenciamento S.M.A.R.T., analisando 200 parâmetros diferentes em comparação aos 20 normalmente checados. Isso permite, por exemplo, que você fique sabendo com antecedência de problemas como um aumento incomum na temperatura do servidor.

Junto disso, o software da Seagate também é capaz de reconhecer sinais de que o disco esteja em risco de falha. Caso note qualquer problema semelhante, o IHM informa o usuário automaticamente, para que ele faça uma cópia de segurança e tome todas as medidas necessárias.

Combinando prevenção, intervenção e recuperação, a linha IronWolf Pro garante máxima segurança para manter seus servidores seguros

O último passo, por fim, vem ajudar quando tudo mais falhar. Caso seja necessário restaurar os dados perdidos, você pode contar com a ajuda do Seagate Rescue Data Recovery, que recupera suas informações com uma taxa de eficiência de 90%. A ferramenta, vale notar, é um serviço pago, mas aqueles a adquirirem um HD da linha IronWolf Pro ganha nada menos do que 2 anos grátis para usar o software sempre que precisar.

Ficou interessado? Quer saber mais? Pois então é só clicar neste link para conferir em detalhes tudo o que os HDDs da linha IronWolf Pro podem oferecer.