Julian Assange, o fundador do WikiLeaks, vai oferecer 20 mil euros (cerca de R$ 73 mil) para qualquer pessoa que entregar informações que condenem os assassinos de Daphne Caruana Galizia. Galizia era uma jornalista investigativa que morreu em um ataque de carro bomba em Bidnija, Malta, na segunda-feira (16).

A jornalista de 53 anos tocava um dos blogs mais populares de Malta, o Running Commentary, e possuía ligações com o WikiLeaks. Além do trabalho no RC, Galizia foi uma das envolvidas na investigação dos Panama Papers e trouxe ao leitor dezenas de furos sobre escândalos de corrupção no país natal.

Uma cultura de impunidade que está florescendo no governo

A polícia de Malta abriu uma investigação de assassinato. "O que aconteceu hoje [segunda, 16] é inaceitável em vários níveis. Hoje é um dia negro para a nossa democracia e nossa liberdade de expressão", disse o primeiro-ministro de Malta, Joseph Muscat. "Não vou descansar enquanto não for feita justiça". Dias antes, a jornalista havia apresentado uma denúncia sobre o recebimento de ameaças de morte, de acordo com o Times of Malta.

Sobre o assassinato, Julian Assange publicou a seguinte mensagem no Twitter: "Indignado ao ouvir que a jornalista e blogueira maltesa Daphne Caruana Galizia foi assassinada esta tarde, não muito longe de sua casa, com um carro-bomba". Depois, adicionou a frase: "Entregarei uma recompensa de 20 mil euros por informações que levem à condenação de seus assassinos".

AssangeTweet de Assange

  • No Facebook, um dos filhos de Galizia, Matthew Caruana, entregou um relato sobre o trabalho da mãe e ainda atacou políticos de Malta, que possuem "uma cultura de impunidade que está florescendo no governo".

Daphne Caruana Galizia era jornalista, tinha 53 anos, deixa marido e três filhos

Daphne Caruana GaliziaDaphne Caruana Galizia

Cupons de desconto TecMundo: