O revenge porn (vingança pornográfica) — o ato de distribuir representações gráficas explícitas de ex-parceiros ou conhecidos sem o consentimento das pessoas em destaque — é uma prática que ainda tem acontecido bastante pela web e considerada um tema em desenvolvimento em várias esferas. As vítimas, por exemplo, têm dificuldade em encontrar ajuda, reconstruir sua privacidade e buscar justiça. Muitos esforços vêm sendo feitos para evitar que esses episódios aconteçam e uma bem-vinda ajuda é a criação na Austrália do primeiro sistema nacional de defesa especializado nesse assunto.

O site oferece esclarecimentos, orientações legais e ajuda para manter as vítimas no caminho da reconstrução de sua privacidade

O portal é muito didático e já começa ensinando as pessoas a entender melhor o que seria um “image-based abuse” (IBA — ou “abuso baseado em imagens”), para não deixar dúvidas: ocorre quando imagens íntimas, nuas ou sexuais são distribuídas sem o aval daqueles retratados. Isso inclui fotos reais e alteradas (em Photoshop, por exemplo), desenhos e vídeos.

Revenge Porn Austrália

Três seções primordiais para quem sofreu algum ataque estão em evidência, com passo a passo para cada ação: “Take action”, que instrui como remover o conteúdo, coletar provas e pedir ajuda policial; “Support”, que oferece textos e dicas para manter as vítimas calmas e orientadas; e “Legal assistance”, com orientações sobre o que diz a lei e como procurar um advogado.

Números

O Brasil viu o número de casos reportados quadruplicar entre 2012 e 2014, de 48 para 224, segundo a Organização da Defesa dos Direitos Humanos na Internet, a SaferNet. Em 2015, o registro foi de 322 vítimas e, no ano passado, caiu para 301. Ainda assim, muita gente não cadastra suas ocorrências ou simplesmente deixa desenrolar até ver realmente se os episódios se enquadram como um IBA, o que dificulta a varredura sobre como anda a real situação sobre esse tema por aqui.

Muita gente não registra as ocorrências, o que dificulta a pesquisa para saber a real extensão do problema no Brasil

Um em cada 25 norte-americanos foi afetado por revenge porn em 2016, de acordo com estudos do US Data & Society Research Institute e do Center for Innovative Public Health Research. Na Austrália, 20% da população entre 16 e 49 anos já passaram por esse tipo de problema, em sua maioria mulheres de 18 a 24 anos.

SaferNet revenge pornNúmeros de sexting/exposição íntima — equivalente ao IBA — do SaferNet no Brasil

Se algum conteúdo explícito com nudez sua vem sendo publicado de forma não autorizada, o TecMundo tem orientações que podem ser muito úteis para você.

Cupons de desconto TecMundo: