Anteriormente, os relatos sobre hackers da Rússia que influenciaram nas últimas eleições norte-americanas ficavam "apenas" nas mãos de instituições governamentais, como a NSA (Agência de Segurança Nacional). Agora, a Google encontrou evidências indicando que agentes russos compraram propagandas específicas durante o ano eleitoral nos Estados Unidos, segundo fontes do Washington Post.

O novo relato diz que as propagandas foram compradas no YouTube, página de buscas (Google Search), Gmail e na rede DoubleClick por um valor de US$ 100 mil. Facebook e Twitter também revelaram ações similares.

O WP ainda nota que as propagandas divulgadas por russos ajudaram a dividir os eleitores norte-americanos

"A Google possui o maior negócio de propagandas online do mundo, e o YouTube é maior site de vídeos do mundo", notou o Washington Post.

Oficialmente, a Google não comentou detalhes, mas fontes do WP dizem que a companhia está investigando as propagandas com valores menores que US$ 100 mil para a exibição. Já de maneira oficial, a Google apenas comentou que está "sempre monitorando abusos ou violações nos termos e que não foram encontradas evidência nas plataformas de propaganda".

O WP ainda nota que as propagandas divulgadas por russos ajudaram a dividir os eleitores norte-americanos — principalmente em estados cruciais dos Estados Unidos.

Cupons de desconto TecMundo: