Os relatos de uma possível ciberguerra em curso aumentam todos os dias. Hoje (05), a Reuters indicou que a Rússia pode estar por trás da interrupção na rede de comunicação móvel que aconteceu mês passado na Letônia, no norte da Europa.

Ao que parece, a Rússia estava "apenas" testando ferramentas de cibertaques, de acordo com oficiais da NATO. No dia 30 de agosto, a rede de comunicação móvel da Letônia ficou fora do ar por cerca de sete horas — as informações indicam que o ataque tentou derrubar os serviços de emergência via telefone.

O ministro da Defesa russo não fez comentários sobre o caso

Segundo os oficiais da NATO, o ataque na Letônia foi bem menor se formos comparar com os ciberataques realizados por hackers contra companhias privadas e órgãos públicos durante esse ano. Além disso, que não haverá qualquer retaliação, já que o trabalho atual da NATO é apenas defensivo.

De acordo com o General Ben Hodges, do exército norte-americano, "a Rússia desenvolveu uma capacidade significante para uma ciberguerra" nos últimos três anos, adicionou a Reuters. A preocupação também cresce em países como a Lituânia e Estônia; o ministro da Defesa de Lituânia, Raimundas Karoblis, afirmou que a "Rússia simulou um ataque em todos os países bálticos".

Cupons de desconto TecMundo: