Marcus Hutchins — o hacker que conseguiu impedir o ransomware WannaCry de fazer um estrago global sem precedentes — apareceu hoje (14) em um tribunal norte-americano para uma audiência referente ao processo em que ele é acusado de participar da criação do malware bancário Kronos. Ele se declarou inocente. Hutchins é foi preso no aeroporto de Las Vegas ao voltar para o Reino Unido depois de participar de duas conferências de segurança digital na cidade estadunidense.

Essa é a primeira audiência a que ele comparece depois de ser preso (03/08) e pagar fiança de US$ 30 mil para responder o processo em liberdade. Segundo a acusação, ele e um colega não identificado teriam desenvolvido a maior parte do malware Kronos — que roubou dados bancários de internautas especialmente no Reino Unido — e vendido a ferramenta para outros criminosos pelo equivalente a US$ 2 mil em moeda digital, provavelmente Bitcoin.

Não há detalhes sobre o que foi discutido durante a audiência, mas a advogada de Hutchins, Marcia Hofmann, afirmou que o hacker vai manter sua posição. “Ele vai se defender vigorosamente contra essas acusações e, quando as evidências forem trazidas à tona, estamos confidentes que ele será de fato vingado”, afirmou.

O “herói do WannaCry” vai permanecer em Los Angeles, EUA, trabalhando para a mesma empresa que o emprega no Reino Unido enquanto a história não é resolvida. O que fica estranho é apenas a reação das autoridades norte-americanas contra um suposto criminoso britânico que teria causado danos majoritariamente a consumidores europeus com a venda de um suposto malware.

Cupons de desconto TecMundo: