A paranoia com a segurança nos aeroportos dos Estados Unidos pós-11 de setembro só aumenta. A mais recente medida nesse sentido é a implementação de um sistema de reconhecimento facial por parte do Departamento de Segurança Nacional (DHS) do país norte-americano que vai escanear o rosto de todos os estadunidenses que deixarem o país.

Em fase de testes, um programa piloto já começa a funcionar em seis dos principais aeroportos dos EUA — Boston, Chicago, Houston, Atlanta, New York City, and Washington DC. Segundo a Associated Press, a lista deve ser expandida em 2018. A medida vem na sequência de outras ações do tipo nos EUA depois dos atentados ao World Trade Center em 2001, como a coleta de dados biométricos iniciado implementada em 2004.

As autoridades garantem que os dados serão apagados depois de 14 dias, mas ele também podem ser retidos caso haja alguma suspeita

E se você está se perguntando sobre questões de privacidade envolvidas no assunto, o DHS parece não estar muito preocupado com isso. Um documento sigiloso do departamento que vazou na web recentemente indica que “a única forma de um indivíduo garantir que não será sujeito de coleta de informação biométrica quando viajar internacionalmente é deixar de viajar.”

Apesar disso, o oficial de Alfândega e Proteção de Fronteira John Wagner, responsável programa, garante que todos os dados coletados quando um cidadão dos EUA deixa o país serão removidos depois de 14 dias. Por outro lado, ele também afirmou que as informações podem ser mantidas após esse período caso algo seja notado pelo sistema de avaliação das autoridades norte-americanas.

Cupons de desconto TecMundo: