O governo dos Estados Unidos anunciou a proibição de passageiros com aparelhos eletrônicos maiores do que um smartphone no interior de voos oriundos do Oriente Médio e do Norte da África. O Departamento de Segurança Interna comunicou que itens como laptops, tablets, DVD players e games portáteis, entre outros, estão banidos temporariamente, devido a possíveis atos terroristas.

Brasileiros que estiverem voltando para o País e tiverem conexões nos Estados Unidos precisam ficar atentos a essas mudanças

Imagem divulgada pelos governos dos Estados Unidos e do Reino Unido

Os gadgets poderão ser transportados na bagagem despachada, que será avaliada por oficiais, em busca de explosivos. "A inteligência indica que os grupos terroristas miram a aviação comercial para incluir o contrabando de dispositivos explosivos em vários itens de consumo. Com base nisso, a Administração de Segurança de Transportes, em consulta com os departamentos e agências relevantes, determinou que é prudente aumentar a segurança, incluindo procedimentos para passageiros em certos aeroportos de último ponto de partida para os Estados Unidos", diz a nota do comunicado.

Aeroportos e países afetados

Os pontos de origem que sofrem com essas regras são:

  • Aeroporto Internacional Rainha Alia (Jordânia)
  • Aeroporto Internacional do Cairo (Egito)
  • Aeroporto de Istambul Atatürk (Turquia)
  • Aeroporto Internacional Rei Abdulaziz (Arábia Saudita)
  • Aeroporto Internacional Rei Khalid (Arábia Saudita)
  • Aeroporto Internacional do Kuwait (Kuwait)
  • Aeroporto Internacional Casablanca Mohammed V (Marrocos)
  • Aeroporto Internacional de Hamad (Catar)
  • Aeroporto Internacional de Dubai (Emirados Árabes Unidos)
  • Aeroporto Internacional de Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos)

Passageiros que estiverem voltando para o Brasil em conexões pelos Estados Unidos precisam ficar atentos a essas mudanças, que devem estar implementadas até o sábado (25). As empresas que não obedecerem essas regras terão suas licenças de pouso revogadas junto à Agência Federal de Aviação.

Companhias aéreas têm até 96 horas para se adaptar às novas regras

Ainda não há previsão para o fim dessa proibição e muita gente já especula que as normas não seriam somente uma ação antiterrorista mas também uma forma do presidente Donald Trump dificultar a entrada de muçulmanos em solo estadunidense.

Reino Unido também adere

O governo britânico seguiu os Estados Unidos e também anunciou a proibição de aparelhos maiores que um smartphone em voos oriundos da Turquia, Líbano, Jordânia, Egito, Tunísia e Arábia Saudita. A justificativa é a mesma, como medida de segurança antiterrorista.

Seis companhias aéreas serão afetadas: British Airways, EasyJet, Jet2.com, Monarch, Thomas Cook e Thomson. Outras oito internacionais também: Turkish Airlines, Pegasus Airways, Atlas-Global Airlines, Middle East Airlines, Egyptair, Royal Jordanian, Tunis Air e Saudia. As autoridades recomendam aos viajantes uma consulta antes do embarque junto às companhias para saber mais sobre essas mudanças.

Cupons de desconto TecMundo: