Na noite desta segunda-feira (26), a Universidade de Hofstra sediou o primeiro encontro entre os candidatos à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton e Donald Trump. Um dos momentos que marcou o debate foi o segmento sobre cibersegurança, onde ambos falaram principalmente da ameaça que grupos organizados de hackers podem oferecer ao país.

Levando em consideração o que foi dito no debate, as prioridades de cada candidato parecem diferir bastante. Para a democrata Hillary, cibersegurança é um dos “maiores desafios que o próximo presidente irá enfrentar”. Ela dividiu as ameaças em dois grandes grupos: os hackers independentes, que atacam os Estados Unidos por razões comerciais, e os ataques patrocinados por governos, com destaque para a Rússia.

As prioridades de cada candidato parecem diferir bastante.

“O caso mais recente e problemático foi com a Rússia. Não há nenhuma dúvida de que a Rússia usou ciberataques contra todo tipo de organização do nosso país e eu fico extremamente preocupada com isso. Eu sei que o Donald tem uma admiração pelo Vladimir Putin, mas Putin está jogando a longo prazo, aqui.”

A fala foi uma referência ao ataque sofrido pelos servidores do Comitê Nacional do Partido Democrata, quando vários dados do partido vazaram e uma investigação do FBI ligou o ocorrido ao governo russo. Na época, Donald Trump encorajou os russos a invadirem computadores do governo americano atrás dos 30 mil emails enviados pela candidata na época em que ela usava um servidor privado para se comunicar.

Trump e ‘o cyber’

É um pouco difícil ter certeza do que Trump quis afirmar sobre o assunto durante o debate, mas ele parece não acreditar na versão do FBI que liga os russos aos ataques. “Ninguém sabe se foi mesmo a Rússia que invadiu o Comitê Democrata. Ela fica falando Rússia, Rússia, Rússia. Talvez tenha sido. Pode ter sido a Rússia, mas também pode ter sido a China, podem ter sido muitas pessoas. Pode ter sido alguém que está deitado em uma cama e pesa 180 kg.”

Trump parece não acreditar na versão do FBI que liga os russos aos ataques

O republicano também acabou virando alvo de piadas por usar a expressão “cyber” repetidas vezes, sempre que queria se referir à internet: “Quando você vê o que o ISIS (Estado Islâmico) vem fazendo, eles estão nos derrotando no nosso próprio jogo. ISIS. Então nós temos que ser muito duros com o ‘cyber’ e com a guerra cibernética (cyber war). Isso é sim, é um grande problema. Eu tenho um filho. Ele tem 10 anos. Ele tem computadores. Ele é tão bom com esses computadores, é inacreditável. O aspecto de segurança do ‘cyber’, é muito, muito difícil.”

Mas parece existir pelo menos um ponto em que eles concordam, pelo menos de acordo com Trump: “No que diz respeito ao ‘cyber’, eu concordo com partes do que disse a secretária Clinton.”

Cupons de desconto TecMundo: