A Apple e a Google receberam duras críticas nas últimas semanas pela forma como coletam e armazenam dados de localização dos usuários. Para não enfrentar a mesma situação, a Microsoft decidiu apresentar maiores detalhes a respeito da política aplicada pela empresa na coleta dos dados realizada em aparelhos que utilizam o Windows Phone 7.

Segundo nota divulgada pela empresa de Bill Gates, a coleta de informações só é feita com a devida autorização do usuário, e esses dados são armazenados em uma base própria. Ainda não se sabe com que frequência a transmissão dos logs é feita nem por quanto tempo o histórico de localização é mantido.

A Microsoft diz manter uma base com o mapa de torres de celular e pontos de acesso à internet sem fio. Dessa forma, quando você autoriza que aplicativos utilizem os dados de sua localidade, a empresa compara suas coordenadas com a base de dados de localização, a qual contém maiores detalhes a respeito do local em que você se encontra. Dessa maneira eles conseguem coletar e armazenar os logs de localização de cada usuário do Windows Phone 7.

A polêmica

As críticas à Apple e à Goolge tiveram início depois que pesquisadores revelaram que os iPhones e iPads armazenam os dados de localização dos usuários. Para deixar a situação das empresas ainda pior, foi comprovado que a coleta das informações é feita mesmo que os aparelhos estejam desligados.

Em sua defesa, a gigante Google disse que os usuários do Android podem optar se desejam ou não compartilhar suas coordenadas, como acontece com aqueles que fazem uso do Windows Phone 7. Dessa forma, quem permite a coleta dos dados está ciente que as empresas irão armazenar suas informações.

Além disso, os dados armazenados são anônimos, ou seja, a Google sabem a localização, mas não quem se encontra nela. A Apple decidiu não se pronunciar sobre o assunto, o que gerou ainda mais desconfiança entre os usuários.