Desde que tivemos o famoso escândalo da NSA, não foram poucos os países a criarem os mais variados métodos para contornar os “olhos” do órgão norte-americano. E enquanto o Brasil resolveu criar seu próprio sistema de email, a Alemanha parece estar disposta a ir muito além: o governo de lá está voltando às máquinas de escrever.

A curiosa informação veio durante uma entrevista ao jornal alemão moma a Patrick Sensburg, o presidente do Parlamento Alemão do comitê investigativo da NSA, que disse que o país está levando a questão de segurança muito à sério. “De fato, nós já temos uma [máquina de escrever] e ela até é uma máquina de escrever não-elétrica”, comentou.

Protegendo-se da NSA

É óbvio que, em um mundo tão conectado, de nada adiantaria que o governo usasse máquinas como essas enquanto seus funcionários podem estar facilmente sendo grampeados fora das paredes do estabelecimento. Sensburg sabe muito bem disso, segundo o ArsTechnica, que traduziu o conteúdo do jornal alemão.

Logo, junto de passar a utilizar máquinas de escrever, ele também anunciou publicamente que vai ter uma auditoria de segurança feita em seu smartphone e que pedirá aos outros membros do comitê que façam o mesmo. Tal decisão não vem sem boas bases, de fato, já que recentemente foi descoberto que dois membros do Parlamento teriam a segurança de seus celulares comprometida.

Mas esse ainda é apenas o começo. “Nós temos que tentar manter nossas comunicações internas certas para enviar emails encriptados, usar celulares encriptados e outras coisas que eu não vou mencionar, é claro” disse Sensburg.

Cupons de desconto TecMundo: