A fundação Michael J. Fox uniu-se com a Intel para desenvolver uma aplicação e um smartwatch que proporcionam um acompanhamento contínuo e a gravação de dados a respeito de pessoas que sofrem da doença de Parkinson. O ator Michael J.Fox começou a fundação após ser diagnosticado com a doença neurológica degenerativa por volta do ano de 2000.

O Mal de Parkinson é uma doença neurológica progressiva que afeta a capacidade da pessoa de controlar a função motora e o equilíbrio, gerando e a perda de coordenação, da capacidade sensorial e o declínio da função intelectual. As causas ainda não são conhecidas e não há nenhum tratamento que possa parar ou reverter os sintomas. No entanto, há um consenso de que a doença seja uma combinação de fatores ambientes e genéticos.

Intel na ajuda

A Intel resolveu fazer a parceria com a Fundação Michael J. Fox porque o ex-CEO da empresa, Andy Grove, é um conselheiro sênior da fundação que também foi diagnosticado com Parkinson.

Dessa maneira, a empresa desenvolveu um Smartwatch que possui a capacidade de reunir mais de 300 informações por segundo — mais de um giga por paciente, por dia, que é transmitido. Os dados são anônimos e a Intel ainda está processando todas essas informações.

Mais do que apenas relatar o que aconteceu, a Intel planeja desenvolver algoritmos que possam medir melhor alguns tremores associados à doença e os padrões de sono dos pacientes. A próxima fase do estudo lançará um aplicativo que vai permitir que os pacientes informem e registrem o consumo de medicamentos.

Esse estudo vai proporcionar informações adicionais e detalhadas para outros pesquisadores que estejam procurando uma luz no fim do túnel para combater o Mal de Parkinson. O trabalho da Intel nessa área é o mais recente de uma série de iniciativas de empresas de tecnologia, como a Google e a Samsung, sendo que cada uma embarcou em grandes projetos voltados para trazer avanços significativos no segmento de saúde e bem-estar.

Cupons de desconto TecMundo: