Dr. Chil-Yong Kang demonstra parte de sua rotina de pesquisa para o canal de TV canadense. (Fonte da imagem: CTV)

Há muitos anos, os cientistas têm procurado descobrir, sem muito sucesso, vacinas que previnam a AIDS. A tarefa não é nada fácil, mas uma equipe de pesquisadores da University of Western Ontario, localizada em Londres, afirma ter descoberto uma técnica efetiva.

De acordo com o site do canal de TV canadense CTV, o grupo de cientistas liderado pelo Dr. Chil-Yong Kang procurou uma forma diferente da convencional para encontrar uma proteção contra o vírus dessa doença.

Diferente da maioria dos estudos, que usam apenas alguns genes ou proteínas do vírus HIV, essa equipe de cientistas utilizou um vírus geneticamente modificado para ser não-patogênico, ou seja, ele não pode causar a AIDS. O objetivo da vacina contendo o vírus “controlado” é incitar as células T do organismo a destruírem qualquer outra célula que seja infectada com o HIV.

Até dezembro de 2011, os experimentos realizados com a vacina apresentaram estímulos eficientes do sistema imunológico de animais de laboratório. A mais recente notícia referente a essa pesquisa é que a US Food and Drug Administration, órgão regulador dos EUA, liberou os testes da vacina em humanos.

A primeira fase da aplicação estava planejada para iniciar no final de janeiro com 40 pessoas já infectadas pelo HIV – o que poderá verificar a segurança da vacina. Posteriormente, os testes seriam feitos em pessoas sem AIDS e, em uma terceira fase, teriam o universo de pesquisa ampliado para 6 mil voluntários.

Cupons de desconto TecMundo: