(Fonte da imagem: Dvice)

O título acima pode parecer um tanto paradoxal. Entretanto, trata-se exatamente disto: a possibilidade de perder peso ao injetar mais gordura, que deve tomar uma boa quantia de dólares do exército estadunidense durante algum tempo. Cabe uma explicação aqui: o nosso corpo possui dois tipos de gordura, a marrom e a branca. Enquanto esta última é a tradicional e bem conhecida “gordurinha”, a primeira é responsável por transformar energia armazenada em calor para nos manter aquecidos.

Trata-se do tipo de gordura encontrado abundantemente em bebês e animais hibernantes, tornando possível que o corpo se aqueça sem a necessidade de arrepios (sim, é para isso que eles servem no frio). Entretanto, o tecido adiposo marrom é consideravelmente raro em adultos.

Mas não, não se trata simplesmente de uma forma de aquecimento mais prática aqui. Na verdade, estudos recentes demonstram que pequenas quantidades de gordura marrom podem queimar cerca de 250 calorias em ambientes de temperatura relativamente baixa — além de aumentar o metabolismo em 80%.

Bem, é aí que surge o interesse do exército estadunidense. A instituição  pretende bancar pesquisas para desenvolver a “gordura benéfica” em laboratório, para em seguida implantar em recrutas ligeiramente... Acima do peso. Mas nem todos os investidores da nova tecnologia são estatais. A empresa farmacêutica Ember pretende investir US$ 34 milhões na gordura marrom. Certamente uma boa notícia para quem não estiver na caserna.

Cupons de desconto TecMundo: