Através de seu site oficial, a Samsung anunciou que está iniciando a produção em massa de chips de memória volátil com 12 Gb (LPDDR4) criados a partir do processo de fabricação de 20 nanômetros. Antes que esses números comecem a causar alguma confusão, nós explicamos: considerando que um único byte pode armazenar até oito bits, um módulo de 12 Gb (gigabit) é capaz de guardar até 1,5 GB (gigabyte).

Hoje, os smartphones mais potentes são capazes de usar até quatro chips de 8 Gb (1 GB), totalizando os 4 GB de memória RAM utilizando em alguns aparelhos tops de linha. Com a criação de módulos de 12 Gb, a mesma quantidade de chips (4) pode resultar em aparelhos com até 6 GB de RAM.

  • Antes: 4 chips de 8 Gb (1 GB) = 4 GB de memória RAM;
  • Agora: 4 chips de 12 Gb (1,5 GB) = 6 GB de memória RAM.

Vale lembrar que foi a própria Samsung a pioneira na criação de módulos de maior capacidade. Em dezembro de 2014, a sul-coreana havia iniciado a produção em massa dos chips de 8 Gb LPDDR4 de RAM, aqueles que resultavam em 1 GB por módulo de memória.

Módulos de memória da Samsung capazes de armazenar até 12 Gb (1,5 GB) de RAM.

Benefícios?

De acordo com a Samsung, a utilização dos módulos de memória volátil com 12 Gb (LPDDR4) pode resultar em uma velocidade até 30% superior, além de um consumo 20% menor. Assim, além do aumento de desempenho resultado de um acesso mais rápido às informações, a duração de bateria não será prejudicada, o que satisfaz aqueles que estavam preocupados com o consumo de energia.

Considerando que os primeiros smartphones da marca com 4 GB de RAM – Galaxy S6 Edge Plus e Galaxy Note 5 – ainda estão chegando ao mercado, pode ser que demore um pouco para que os 6 GB sejam realmente uma realidade. Porém, isso não impede que a Samsung surpreenda o mercado, lançando os seus próximos aparelhos – Galaxy S7 (e variantes) e Galaxy Note 6 – com essa quantidade monstruosa de memória volátil.

Smartphones com 6 GB de memória RAM: ideal ou exagero? Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: