Logo após ser informada de que uma de suas fábricas na China empregava menores de idade para trabalhar de forma inadequada em linhas de produção, a Samsung interrompeu seus negócios com a Shinyang Electronics, fornecedora vítima da acusação feita pela ONG China Labor Watch (CLW). Em comunicado público emitido nesta segunda-feira (14), a Samsung afirma adotar “uma política de tolerância zero ao trabalho irregular de crianças”.

“A Samsung decidiu suspender temporariamente suas negociações [com a Shinyang Electronics] até que evidências acerca das suspeitas de trabalho infantil sejam encontradas pela investigação”, diz a gigante sul-coreana. A empresa lamenta o fato de ter sido acusada, uma vez que executa processos de fiscalização contra este tipo de prática em suas fábricas pela China. “Três audiências foram realizadas junto à Shinyang Electronics desde 2013; a última aconteceu em 25 de junho de 2014. Nenhum caso envolvendo trabalho infantil foi encontrado”, informa a Samsung,

Processos de contratação ilegais, contudo, foram constatados por investigações terceiras feitas pela companhia. Também de acordo com a Samsung, o caso foi devidamente repassado às autoridades chinesas. Sobre a recente denúncia feita pela CLW, se evidências forem encontradas e provarem, então, a contratação ilegal de crianças, “a Samsung vai interromper permanentemente suas negociações com a fornecedora conforme sua política de tolerância zero ao trabalho infantil”. Não se sabe quando as investigações serão concluídas.

Cupons de desconto TecMundo: