Uma fábrica da Samsung SDI, a divisão de baterias da coreana, foi vítima de um incêndio no norte da China, na cidade de Tianjin. De acordo com a empresa, a ocorrência foi registrada em um depósito de dejetos, e não nas linhas de produção propriamente ditas. Por isso, o fogo não teria começado a partir de nenhuma bateria defeituosa ou a partir dos químicos utilizados.

Apesar de a Samsung SDI categorizar o incêndio como “pequeno”, a fumaça pôde ser notada à distância. Tanto é que moradores da cidade publicaram fotografias da nuvem cinza saindo da região onde ficaria a fábrica em Tianjin. Confira as imagens no tweet de @mmddj_china.

A Samsung terminou em janeiro sua investigação sobre o Note 7 e concluiu que havia falhas no design e na construção das bateiras

Um representante da empresa chamado Shin Yong-doo conversou com a Bloomberg e afirmou que o incidente não afetou a produção de baterias. A empresa era uma das fornecedoras dessas peças do Galaxy Note 7, o phablet da Samsung que foi descontinuado por conta das dezenas de unidades que pegaram fogo ao redor do mundo.

A Samsung terminou em janeiro sua investigação sobre o Note 7 e concluiu que havia falhas no design e na construção das baterias do dispositivo, isso nas versões entregues pelas duas fornecedoras desse componente à Samsung.

A Bloomberg ainda ressalta que a Samsung SDI investiu cerca de US$ 129 milhões em segurança depois do ocorrido com as baterias do Note 7. Além do mais, a Samsung Mobile inclusive atrasou o lançamento do Galaxy S8 para ter tempo de testar e conferir o design das células de energia desse aparelho. A divisão SDI ainda deve continuar fornecendo esses componentes para a fabricação de smartphones do setor Mobile.

Cupons de desconto TecMundo: