Na última terça-feira (6), a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu a favor da Samsung no mais recente capítulo do processo de patentes que a organização sul-coreana trava com a Apple. Os juízes encarregados do caso decidiram que a empresa não precisa pagar os US$ 399 milhões (R$ 1,35 bilhão) que a companhia da Maçã pedia em danos.

No entanto, ainda está em disputa o valor de US$ 149 milhões (R$ 507 milhões) relacionado à quebra de patentes referentes ao iPhone. O montante anulado era atribuído a possíveis danos que a violação trouxe aos lucros da Apple — segundo a Samsung, a quantia era excessiva e a empresa rival só deveria receber compensações pelas partes de dispositivos que violavam patentes e não pelas margens de lucro obtidas pela fabricante da Coreia.

"Vamos continuar a proteger nossos anos de trabalho duro que tornaram o iPhone nosso produto mais inovador e amado"

“Na ausência de informações adequadas de ambas as partes, esta Corte declina resolver se o artigo relevante de fabricação de cada patente de design tratada aqui é sobre o smartphone ou sobre um componente específico. Fazer isso não é algo necessário para resolver a questão apresentada, e o Federal Circuit pode tratar de qualquer questão pendente”, afirma o texto publicado pela Suprema Corte.

Em uma mensagem enviada ao site TechCrunch, a Apple afirma que o caso — iniciado em 2011 — sempre teve o objetivo de provar que a Samsung copiou descaradamente suas propriedades intelectuais. “Vamos continuar a proteger nossos anos de trabalho duro que tornaram o iPhone nosso produto mais inovador e amado. Continuamos otimistas de que as cortes inferiores vão mandar novamente um poderoso sinal de que roubar não é algo certo”.

Cupons de desconto TecMundo: