A Samsung lançou com exclusividade para o Brasil mais um modelo intermediário da sua linha de smartphones Android. Estamos falando do Galaxy Win 2, a segunda geração do Galaxy Win original. A fabricante nos enviou para testes um modelo com dual-SIM, conectividade 4G e TV digital. Com tudo isso, a coreana quer acompanhar a evolução dos intermediários sem aumentar muito a faixa de preço da categoria.

A principal mudança da geração passada para a atual é a presença de um processador 64-bit no novo smartphone. Isso garante um desempenho bastante superior ao do modelo anterior e torna a usabilidade muito mais agradável. Essa nova arquitetura pode parecer irrelevante para muita gente, mas saiba que o novo chip realmente fez muita diferença.

Design

A Samsung costuma mudar pouco o design de seus aparelhos de uma geração para a outra. Por isso, o Galaxy Win 2 se parece muito com o seu antecessor. As maiores diferenças ficam por conta do estilo mais compacto e quadrado do modelo atual.

A traseira também mudou, e agora tem uma textura mais fosca na tampa de plástico. Isso melhorou bastante a sensação que você tem ao segurar o dispositivo. Basicamente, ele ficou menos escorregadio.

Em geral, entretanto, ele “se parece com um aparelho da Samsung”, sem nenhum detalhe diferente do restante da atual linha de aparelhos mais básicos. Contudo, ele pode ser o último smartphone a ser lançado pela empresa com essa identidade visual, já que as linhas “Galaxy A” e “Galaxy J” devem ser as novas queridinhas da empesa a partir de 2015.

Tela

O display do Galaxy Win 2 é de 4,5’’, isso é 0,2’’ menor que o do primeiro modelo. A diminuição garantiu uma melhora na densidade de pixels (240 ppi), já que a resolução ficou em 480x800, e a reprodução das cores ficou mais realista. Para um smartphone intermediário, a resolução não é exatamente ruim, mas fica atrás da de aparelhos como o Moto E 2015, um dos seus principais concorrentes.

Em ambientes fechados, você não deve ter nenhum problema para enxergar o conteúdo que aparece na tela do Galaxy Win 2, mas quando você está sob o sol forte, as coisas podem ser um pouco diferentes. O vidro, que não é Gorilla Glass, gera muito reflexo, e a luminosidade máxima do aparelho pode não ser suficiente em algumas situações.

A tela nem mesmo parece ser de vidro, dando sempre uma “sensação plástica” ao toque. Falando em toque, o smartphone nem sempre responde com muita precisão, especialmente na navegação web.

Interface

A interface TouchWiz que acompanha esse smartphone é aquela tradicional que vem com todos os modelos com Android KitKat da Samsung. Ela é bem mais ágil e simples de usar que aquela que acompanhava os modelos com Jelly Bean, mas, ainda assim, gera alguns travamentos aqui e ali, especialmente na hora de alternar entre apps.

O “peso da interface” é notado especialmente logo depois de iniciar o smartphone. Ele leva alguns minutos para estar completamente funcional depois de ser ligado. Depois disso, entretanto, o funcionamento é normal.

Felizmente, o Win 2 não vem com muitos softwares inúteis pré-instalados. Você recebe apenas alguns apps padronizados da Samsung, todos os itens do pacote Google e mais três games da Gameloft. É possível desativar esses três itens, mas não dá para remover nenhum deles definitivamente.

Desempenho   

O Galaxy Win 2 obteve bons resultados para sua categoria nos testes de benchmark, ficando sempre muito próximo de aparelhos como Moto E 2015 e Galaxy A3. Mas isso nem sempre vai se refletir no dia a dia, já que ele dá umas engasgadas ao navegar na web e ao lidar com animações de apps mais complexos.

Ainda assim, se você não é muito exigente nesse departamento e não se importa em usar os apps da própria Samsung para atividades mais básicas, este smartphone não vai render muita dor de cabeça. O processador 64-bits tem quatro núcleos funcionando a 1,2 GHz. Para acompanhá-lo, temos 1 GB de RAM, 8 GB de armazenamento nativo, GPU Adreno 306 e Android KitKat.

Com essas configurações, nós conseguimos inclusive jogar games medianos, como Riptide GP2 e Leo’s Fortune sem enfrentar lentidão. Claro que a taxa de frames por segundo ficou bem limitada, mas o que realmente importa é a experiência de jogo. Confira o restante das especificações na tabela.

Benchmarks

Para a realização desta análise, submetemos o Galaxy Win 2 a cinco aplicativos de benchmark. São eles: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 5, Basemark X, GFX Bench (T-Rex HD Off Screen e T-Rex HD On Screen) e Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal).

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

AnTuTu Benchmark 5

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 4 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Basemark X

O Basemark X tem como foco principal mensurar a qualidade gráfica dos dispositivos. Baseado na engine Unity 4, o app aplica testes de alta densidade, mostrando qual dos aparelhos se sai melhor na execução de jogos. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

GFX Bench (T-Rex HD)

O GFX Bench é voltado para mensurar a qualidade gráfica. Isso inclui itens como estabilidade de desempenho, qualidade de renderização e consumo de energia. Os resultados são revelados em média de frames por segundo (fps). Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Vellamo Mobile Benchmark

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Bateria

O grande destaque do Galaxy Win 2 é a sua autonomia de bateria. Fazendo uso apenas das funções básicas do smartphone, você consegue passar praticamente dois dias sem conectá-lo ao carreador. Isso é realmente um diferencial do aparelho da Samsung, ainda mais se levarmos em conta que a maioria dos dispositivos da atualidade precisa recorrer à tomada todos os dias.

É preciso considerar que o modelo que testamos tem TV digital. Assim, se você usar esse recurso por muito tempo, a bateria de 2.000 mAh será drenada rapidamente.

Se você ficar algum tempo jogando, vendo vídeos, fazendo chamadas e outras atividades mais exigentes, o aparelho ainda consegue durar um dia inteiro com uma carga completa.

Em um teste mais metódico, conseguimos acabar com toda a bateria do Galaxy Win 2 em 7 horas e 8 minutos, isso executando um vídeo no YouTube com o brilho da tela no máximo e WiFi ligado.

Câmeras

A publicidade da Samsung anuncia o Win 2 como um smartphone para selfies, mas ele está longe de ser o melhor intermediário para isso. A câmera frontal é de 2 MP, e as fotos que ela faz não ficam tão boas. A traseira segue mais ou menos a mesma linha, mas consegue fazer imagens bem interessantes em boas condições de iluminação, já que conta com um sensor de 5 MP. A captura de vídeo fica em HD (720p).

Em ambientes com pouca luz, ambas as câmeras perdem bastante em qualidade, mas o flash na parte traseira quebra um galho em algumas situações. O software também ajuda em momentos de escuridão, já que tem muitos modos de fotografia e permite alterar algumas funções-chave da câmera para compensar essas dificuldades.

Há ainda a possibilidade de aplicar filtros às suas fotos em tempo real, o que pode ser uma ferramenta bastante útil para quem gosta de atualizar as redes sociais com imagens bem personalizadas.

A velocidade de captura pode ser considerada normal, mas o tempo de foco pode ser um problema para objetos mais distantes ou em planos muito amplos. Isso quer dizer que se você for fotografar alguma paisagem, o foco vai demorar um pouco para ficar pronto. Se você não esperar esse procedimento ser completado, as imagens vão ficar muito chapadas e “sem vida”.

Áudio

O Galaxy Win 2 não se destaca pela qualidade do seu alto-falante, mas o volume que ele consegue alcançar é bem satisfatório. Por outro lado, os fones de ouvido são bem simples, e, se você gosta muito de ouvir música no celular, é melhor comprar outro acessório de melhor qualidade.

Esses fones são ruins até mesmo para realizar ligações e simplesmente acabam com todos os detalhes mais sutis de qualquer música que você queira ouvir. A Samsung só incluiu esse acessório para não mandar o pacote com algo a menos.

TV e rádio

A recepção da TV digital é muito boa. Em nossos testes, notamos que o smartphone conseguiu mapear todos os canais digitais da região central de Curitiba rapidamente. Estamos falando de uma quantidade considerável de emissoras, o que normalmente leva para os concorrentes da categoria pelo menos uns três minutos.

Além do mais, as imagens foram exibidas sempre em alta qualidade. O software da TV ainda é bem intuitivo e ágil. Em resumo, a experiência com a TV do aparelho só é prejudicada pela quantidade de reflexo da tela.

Fora isso, o smartphone tem também rádio FM para quem gosta de ouvir a programão local. Não há nada de especial nesse aspecto do smartphone, assim como nenhuma outra marca se preocupa muito com esse recurso.

Vale a pena?

Atualmente, o modelo com 4G, dual-SIM e TV digital do Galaxy Win 2 custa algo entre R$ 586 e R$ 635 no comércio virtual brasileiro. Dependo das promoções, você pode encontrar esse modelo por preços ainda menores. Isso significa que ele é um dos aparelhos 4G mais baratos da atualidade.

O problema é que, em nossos testes, notamos que a recepção de sinal 4G do Galaxy Win 2 é muito ruim. Ele estava sempre caindo do 4G para o 3G, mesmo quando outros aparelhos ficavam com “sinal cheio” na rede mais moderna, na mesma localidade e com a mesma operadora. Isso quer dizer que a função que seria o grande destaque desse smartphone não deve ser encarada como um ponto positivo na hora da compra.

Mesmo com isso, não dá para dizer que o Galaxy Win 2 tem um custo-benefício ruim, considerando que ele oferece dual-SIM, TV digital e um processador 64-bit. Levando em conta outros modelos da própria Samsung que estão sendo vendidos atualmente, ele é uma boa opção, já que tem o mesmo desempenho do seu equivalente na linha Galaxy A e traz mais recursos extras que os da linha Galaxy J.

Pode valer a pena fazer a compra desse modelo se você achar um preço mais baixo que o atual. Isso porque, por valores similares, há vários concorrentes com custo-benefício melhor, como o Moto E 2015 e o Xperia E3 Dual, que inclusive entregam experiências mais fluidas. Mesmo assim, no fim, você terá que decidir qual deles se adequa mais às suas necessidades.

Cupons de desconto TecMundo: