Toda a experiência com o Galaxy Note 7 tem sido uma montanha-russa de emoções para a Samsung. Inicialmente, o dispositivo arrancou elogios, se mostrando um aparelho poderoso e capaz de levar a linha de phablets a um novo patamar. Essa fase positiva, no entanto, durou pouco. Não demorou para que a bateria do aparelho se mostrasse bastante instável e que a fabricante tivesse que fazer múltiplos recalls pelo mundo até finalmente decidir descontinuar o produto.

É claro que esse fracasso com o smartphone custou muito para a sul-coreana – tanto financeiramente quanto em danos à sua imagem. Além de causar um rombo de cerca de R$ 16 bilhões aos cofres da empresa, a história dos Note 7 explosivos deixou os consumidores realmente preocupados com os equipamentos da marca, uma percepção que pode afetar as vendas de toda a linha de eletrônicos e eletrodomésticos da marca. O jeito encontrado pela companhia para lidar com isso nos EUA? Comprar anúncios para pedir desculpas ao público.

Mais do que os aparelhos, a falha na bateria queimou a imagem da empresa

Confie na gente, por favor

Assim, na última segunda-feira (7) três dos principais jornais norte-americanos chegaram aos leitores com uma carta aberta assinada por Gregory Lee, CEO da fabricante no país. No texto publicado no New York Times, Wall Street Journal e Washington Post, o executivo pede desculpas por toda a situação envolvendo o mais recente celular da casa e cita até o recente recall de quase 3 milhões de lavadoras de roupas com o selo Samsung.

Ele explica que, além da inovação e da implementação de novas tecnologias, a companhia também valoriza muito a qualidade e segurança de seus produtos, e que, por eles terem falhado nisso, pedem perdão a seus clientes. Apesar disso, Lee reafirma o compromisso da empresa em analisar completamente as falhas dos seus produtos para identificar erros nos processos de produção e evitar que episódios como esses se repitam no futuro.

A mensagem da Samsung na íntegra

“Estamos fazendo uma investigação minuciosa a respeito do Note 7 e os resultados serão compartilhados quando a análise estiver finalizada. [...] Vamos reexaminar cada aspecto do dispositivo, incluindo todo hardware, software, fabricação e estrutura de bateria. Tentaremos fazer isso o mais rápido possível, mas tomaremos o tempo que for preciso para que consigamos as respostas certas”, explicou Lee.

O aprendizado com toda essa história deve fazer com que eles consigam reconquistar a confiança dos consumidores

No final do comunicado, o CEO diz mais uma vez que a segurança é um dos pilares da companhia e que o aprendizado com toda essa história – além dos ouvidos abertos para as opiniões, críticas e sugestões dos usuários – deve fazer com que eles consigam reconquistar a confiança dos consumidores. E aí, será que isso é o suficiente para “limpar a barra” da marca até o anúncio oficial do já bastante aguardado Galaxy S8? Deixe o seu comentário mais abaixo.

Cupons de desconto TecMundo: