Desde o nascimento da robótica, sempre tentamos criar autômatos capazes de realizar e reproduzir ações feitas por nós. Obviamente isso também vale para o mundo da música: não são poucos os entusiastas a montarem máquinas complexas capazes de tocar instrumentos musicais. E acredite, elas podem ser bastante impressionantes.

Prova disso é o vídeo que você confere logo abaixo. O projeto russo, embora não seja exatamente bonito visualmente (o que não é muito diferente nos outros casos, para falar a verdade), é capaz de reproduzir o som de um toque polifônico na forma de acordes com perfeição.

Ok, uma música simples pode não ser tão impressionante, mas o do caso abaixo traz uma canção bem mais complexa. A construção do robô, por sua vez, é bem maior, mas também resulta em um aparelho bem imponente.

É claro que as máquinas, por sua vez, têm grandes vantagens sobre qualquer pessoa. E isso vai além do fato de elas nunca errarem uma única nota – como o vídeo abaixo mostra bem, um robô consegue tocar uma música oito vezes mais rápido do que o normal sem a menor dificuldade. Não que você vá entender todos aqueles segundos de melodias transformados em poucos instantes de sons para saber se eles acertaram tudo, é claro.

Como se não fosse suficiente fazer o trabalho com um violão, alguns vão além e criam bandas completas, com direito a robôs humanoides que se movem tocando guitarra, baixo, teclado e bateria:

E se você quiser apenas ver como seria uma maneira “otimizada” de tocar uma música com um baixo, sem precisar se preocupar com a estrutura do instrumento, por que não se livrar dele, e ficar só com as cordas? Provavelmente foi essa a ideia que o engenheiro James McVay teve ao criar o aparelho do vídeo abaixo.

Sejam os projetos simples ou extremamente complexos, o fato é que os robôs estão sendo usados para realizar tarefas cada vez mais complicadas, do tipo que muitos duvidariam que uma máquina seja capaz. E isso é, ao mesmo tempo, impressionante – e um pouco assustador.

Cupons de desconto TecMundo: