Pensando no bem-estar de seus usuários, o Instagram passará a borrar as imagens contendo automutilação e de teor suicida publicadas na rede social. A ideia é evitar que as pessoas vejam esse tipo de conteúdo sensível sem querer, obrigando cada usuário a escolher deliberadamente ativar a exibição completa da foto.

A novidade foi anunciada pelo chefe de plataforma do Instagram Adam Mosseri e vem como medida para combater os efeitos negativos de imagens que desengatilham tendências suicidas. Chamado de “tela de sensibilidade”, o recurso foi implementado após o suicídio da jovem britânica Molly Russel.

Outra medida nesse mesmo sentido confirmada por Mosseri em artigo publicado no jornal britânico The Guardian envolve levantar mais barreiras para dificultar o acesso a esse tipo de conteúdo na rede. Para isso, confirma o executivo, a companhia contará com os esforços de engenheiros e revisores de conteúdo treinados.

Apesar de informar em suas diretrizes de uso que é proibido veicular materiais que incentive as pessoas a causarem danos a si mesmas, o Instagram informa que tais conteúdos não são imediatamente removidos. Isso acontece porque a rede social foi informada por especialistas que deixar as pessoas relatarem situações difíceis de suas vidas pode contribuir para o tratamento, portanto a remoção desses conteúdos é uma questão delicada.

“Suicídio e automutilação são problemas profundamente complexos e desafiadores que levantam questões difíceis para especialistas, governos e plataformas como a nossa”, comentou o executivo. “Queremos muito conduzir isso da maneira correta e faremos tudo ao nosso alcance para tal”, concluiu.