Em 2018, o Facebook apareceu bastante nos sites de notícias, principalmente por causa dos frequentes escândalos envolvendo a forma como lida com a privacidade de seus usuários. A imagem da rede social ficou abalada de tal forma que Mark Zuckerberg foi o bilionário que mais perdeu dinheiro naquele ano.

Agora, parece que a companhia resolveu investir pesado para corrigir suas falhas. Para isso, tem contratado alguns de seus maiores críticos na área de privacidade, inclusive, Nate Cardozo (imagem abaixo), que, talvez, seja o maior dentre eles. Além de Cardozo, outros dois veteranos da lei de privacidade foram chamados: Robyn Greene e Nathan White.

Nate Cardozo, ex-advogado da Electronic Frontier Foundation, vinha, há anos, criticando o Facebook duramente. Em 2015, ele escreveu um editorial em que citou que o "modelo de negócios do Facebook depende de nossa confusão coletiva e apatia com relação à privacidade". Em outras palavras, Cardozo quis dizer que Mark Zuckerberg se aproveitava da falta de conhecimento e atitude de grande parte dos usuários da plataforma. Ele foi contratado para trabalhar na divisão do WhatsApp, no site de Menlo Park, na Califórnia.

Robyn Greene trabalhava anteriormente para o Open Technology Institute, em Washington, enquanto Nathan White deixou o Access Now. Ambos vão trabalhar no próprio Facebook, no site de Washington.

O Facebook não autorizou que os recém-contratados dessem entrevistas. Em nota enviada para o Arstechnica, a empresa disse que tem muito a fazer para resgatar a confiança de seus usuários e promover uma melhor experiência de privacidade. Para isso, nada melhor que ter em sua equipe pessoas que levem uma visão crítica para a plataforma.

Cupons de desconto TecMundo: