Você já reparou que algumas pessoas públicas não possuem um perfil comum no Facebook? Perfil comum, tipo o seu, com possibilidade de adicionar amigos, entre outros recursos. Pois é, algumas pessoas acabam usando o Facebook com um perfil igual ao de uma marca ou empresa. Isso acontece porque o Facebook não permite que um perfil comum seja utilizado com um nome social ou artístico. Por exemplo, o cantor Benito Di Paula não pode ter um perfil comum, pois seu nome real é Uday Vellozo.

O problema é que esses perfis-páginas possuem restrições de interação na plataforma. Por exemplo, eles não podiam fazer parte de grupos, o que acabou de ser alterado em uma nova atualização. Antes, as páginas só podiam criar grupos novos, mas agora o Facebook passou a permitir que elas participem de grupos já existentes.

A mudança vai permitir que artistas, políticos, empresas, marcas, ONGs etc. elevem seu nível de interação a um patamar mais próximo do de um perfil comum, o que é um desejo antigo dos usuários. É como se, para eles, o Facebook tivesse começado de novo, com novas possibilidades.

É claro que esse tipo interação entre páginas que não precisam usar nomes reais pode vir a gerar alguns problemas, como a disseminação de fake news. Mas o fato é que, ultimamente o Facebook tem estado tão atento a essas ocorrências que parece que, enfim, está se sentindo seguro o bastante para implementar o recurso sem comprometer a integridade da plataforma.

O Facebook, inclusive, informou que os administradores de grupos podem desativar a opção que permite que páginas entrem em seus grupos. Eles podem poderão banir páginas normalmente, como se fossem perfis comuns.

Em breve, todos os administradores de grupos do Facebook serão informados sobre esse novo recurso, assim como sobre desativar a opção nas configurações.

Cupons de desconto TecMundo: